Uma batalha de titãs entre The Beatles e Elvis Presley está sendo aguardada nos próximos meses quando lançamentos dos dois grandes nomes da música chegarão às lojas quase simultaneamente, disse o site da revista New Musical Express na terça-feira.

Enquanto a permanência de Presley no topo das paradas de singles por quatro semanas com o remix de “A Little Less Conversation” deu um empurrãozinho para que o Rei do Rock ultrapassasse os Beatles com 18 pódios (contra 17 dos britânicos), a briga prevista deve mostrar de quem é a coroa definitiva do pop.

Segundo o site da NME, há fortes rumores de que a Parlophone, gravadora dos Beatles, está planejando uma coletânea em outubro para comemorar o 40o aniversário do lançamento do primeiro single do grupo, “Love Me Do”, que incluiria 50 faixas.

O porta-voz de Paul McCartney não confirmou tais rumores, mas admitiu para a NME que há “coisas excitantes a serem lançadas em outubro.”

A única pessoa que poderia jogar areia no reinado absoluto de um grande lançamento dos Beatles é Elvis Presley. Apesar da morte do astro norte-americano há 25 anos em 16 de agosto, a “Elvismania” está de volta, principalmente devido ao remix de “A Little Less Conversation”.

A gravadora de Presley, por sua vez, está planejando um CD duplo com 30 músicas do cantor que alcançaram o topo das paradas nos Estados Unidos e Grã-Bretanha para lembrar sua morte. O álbum deve chegas às lojas em 23 de setembro.

O especialista em paradas pop da rede de lojas HMV, Gennaro Castaldo, declarou à NME que a coletânea de Presley será o maior álbum do ano e vencerá os Beatles.

“O CD de Elvis tem apelo de massa. Há dois tipos de fãs em potencial. Os mais antigos, que comprarão qualquer coisa dele, e os mais novos, que conheceram Elvis através do remix. Isso fez dele um cara legal para a nova geração. Para o público jovem, ele não é mais apenas um nome”, declarou.

Apesar de apostar no astro norte-americano, Castaldo disse que os quatro rapazes de Liverpool vão agitar as paradas.

“Será uma grande rivalidade, parecida com aquela vista nos anos 1960. É excitante pensar que a batalha nas paradas de 40 anos estará volta”, acrescentou ele à NME.

Sem mais artigos