Maria Creuza, uma das cantoras de bossa nova mais conceituadas da atualidade, faz show em Madri nesta sexta-feira (12) em homenagem aos 100 anos do nascimento de Vinicius de Moraes, que, segundo a artista, foi o “pai” que lhe abriu as portas do gênero.

No show, a cantora interpretará temas imortalizados por Vinícius, um dos fundadores da bossa nova no final dos anos 50, o que “vai ser um reencontro amoroso e sentimental com a obra” do compositor, explicou ela em entrevista.

Garota de Ipanema e Se todos fossem iguais a você são algumas das canções escritas por Vinícius e que nesta noite serão interpretadas pela cantora, uma das primeiras vozes femininas da Bossa Nova, que reconhece que carrega algo da personalidade do compositor, como a mistura de nostalgia e alegria que lhe acompanhava.

Esta homenagem representa um grande esforço para Maria Creuza, já que é emocionante lembrar um homem que significou muito em sua vida: “Vinicius foi meu amigo, meu querido, me ofereceu sua casa, é também o pai da minha filha, foi tudo”, argumenta.

“Passados os anos, tenho a capacidade de sentir a presença de Vinicius quando estou no palco, sinto que ele está aí. É como um presente”, comentou a cantora.

Vinicius de Moraes (1913-1980) descobriu Maria Creuza quando a artista chegou a Salvador para participar de um festival e buscar espaço no cenário musical da época. A partir desse momento, a relação dos dois foi ficando mais forte, eles chegaram a trabalhar juntos durante dez anos e de fato, a cantora reconhece que, após a morte do compositor, se sentiu perdida e “órfã”.

O primeiro disco da artista chegou em 1970, após gravar um show com Vinicius e Toquinho na Argentina, em um lugar conhecido como La Fusa.

Para a cantora, a bossa nova faz parte da identidade brasileira, “um gênero que é resultado direto da inspiração” e cujas origens datam de 1957, com o lançamento do disco Chega de Saudade, que teve participação de Vinicius.

“A Bossa Nova são os amigos reunidos uma noite, em um lugar escuro, com muita fumaça, muita bebida, muito sentimento e dor, e de repente chega a manhã e eles vão à praia, se esquecem da noite e começa o dia”, explica a cantora.

Sedução, Eu Disse Adeus e Meia-Noite são alguns dos discos de Maria Creuza, que tem 42 anos de carreira e popularizou músicas como Você Abusou.

A cantora afirma que continua a ter a capacidade de se surpreender e que quer seguir aprendendo, mas confessou que perdeu a ingenuidade que tinha quando começou na música.

Maria Creuza cantará esta noite acompanhada do guitarrista Jayme Marques diante de uma plateia pela qual tem um carinho muito especial: “O público espanhol reage de forma maravilhosa. Gosto do barulho, gosto que as pessoas falem nos shows”, afirmou. 

Em Madri, Maria Creuza homenageia Vinicius de Moraes, seu 'pai' na bossa nova

Sem mais artigos