Renato Russo morreu em 1996, vítima de complicações da Aids

A Polícia Civil do Rio de Janeiro deflagrou a opração “Será” para buscar possíveis músicas inéditas gravadas por Renato Russo, líder e vocalista da Legião Urbana, que morreu em 1996, vítima de complicações decorrentes da Aids.

O filho do músico, Giuliani Manfredini, fez a denúncia, que correu em segredo por aproximadamente um ano. De acordo com ele, um estúdio no Rio, onde o pai costumava gravar, teria material de Renato inédito.

O estúdio foi um dos locais revistados pela polícia, que levou cartuchos e HDs para passar por perícia. Giuliani é o único herdeiro e responsável pela obra de Renato Russo. A ocultação de material, caso fique comprovada, configura crime, já que ele deveria ter sido avisaso sobre a existência.

Ainda não há informações sobre se foram encontradas as gravações inéditas de Renato Russo no material recolhido pela polícia.

Sem mais artigos