Em 2011 a cantora Joss Stone foi alvo de um plano de sequestro e de homicídio. Duas mentes estão por trás do plano: Kevin Liverpool e Junior Bradshaw, ambos de Manchester, que foram presos após a polícia encontrar no carro que usavam espadas, cordas e um saco para colocar o corpo da cantora. O julgamento começou na última terça-feira (19).

“O meu dia estava normal, até ao momento em que fui informada, pela polícia, do plano de assassinato”, disse Joss Stone ao juiz. A cantora acrescentou também que tinha um alarme conta invasão em sua casa, mas que raramente o ligava e que também não tinha o hábito de trancar a porta.

Simon Morgan, advogado da cantora, afirmou durante a sessão que “este caso é sobre uma decisão de um grupo de indivíduos, entre os quais estão os dois acusados, para roubar e matar Joss Stone” e acrescentou que é possível ver alguns documentos de Kevin Liverpool as etapas do plano. “Era um crime premeditado”, finalizou. 

“Não sabemos quem são os outros, mas isso não importa. Joss Stone é uma mulher rica e jovem. Os dois acusados foram de Manchester até casa dela para a encontrar. Felizmente, não tiveram sucesso, embora ela estivesse em casa”, acrescentou. 

O julgamento está previsto para durar três semanas. 

Sem mais artigos