O DJ e produtor israelense Avi Shmailov, o nome por trás do Astrix, é um dos maiores nomes do psytrance internacional.

Seu live na festa rave Tribe Psychogarden 2008 foi aclamado como o melhor de toda a festa, que contou com grandes nomes como Pixel e
Xerox & Illumination.

O dono das linhas de baixo mais poderosas e das batidas mais pesadas do atual cenário está no Brasil e conversou com o Vírgula sobre seu mais recente passeio pelas terras tupiniquins.

Vírgula – Seu “live” na Tribe do fim de semana passado foi inacreditável. Como você se sente com tantas pessoas pulando e gritando para você? Você se sente um pouco como Vono Vox ou Mick Jagger?

Astrix – Eu me sinto como Asterix depois de de uma boa dose de “Poção Mágica” (risos). Quando as pessoas estão liberando energia positiva eu me sinto muito vivo por minha música estar atingindo seu alvo. Elevando a alma e fazendo com que o corpo dance e grite.

Seu nome está sempre nas listas de favoritos entre os fãs brasileiros. Qual é sua parte favorita de estar em turnê no Brasil.

Astrix – O Brasil é uma grande parte da cena de trance munial e desempenha um papel importante na formação da música. Aqui estão os maiores eventos e as pessoas são muito calorosas em cada apresentação que eu faço. Eu adoro os fãs brasileiros porque eles sabem como retrubuir amor e apreciação para os artistas.

Existem muitos políticos querendo boicotar as festas rave por aqui. O que você acha de as pessoas considerarem as festas de trance nocivas para a juventude?

Astrix – Nós vivemos o mesmo problema em Israel anos atrás. As festas de trance não são mais perigosas do que festas de house, rock, hip-hop ou qualquer outro evento do tipo. Isso é porque o trance é considerado mais “underground” ou “psicodélico” e por isso tão fácil de culpar por perigos que na verdade estão em todo o lugar. Dê uma chance ao trance!

O que podemos esperar para seu próximo “live” na Pachá?

Eu estou muito animado para tocar na Pachá. Eu já queria tocar lá a algum tempo e agora que vou, ninguem está mais feliz do que eu. Vou tocar muitas faixas do meu próximo álbum, Red Means Distortion e algumas surpresas que eu guardei especialmente para esse show.

Você tem algum DJ brasileiro favorito?

Astrix – Bem… Eu não sei se esse vale mas eu gosto muito do Growling Machines que é o projeto do Riktam (G.M.S) e do Gabe (Wrecked Machines).

Serviço

Astrix na Pachá.

Dia 26/07 – Sábado.

Ingressos – Mulher R$30 e Homem R$ 60,00

Endereço: Rua Mergenthaler, 829
Vila Leopoldina – São Paulo/SP

Maiores informações: www.pachasp.com.br

Ivete Sangalo e Vanessa da Mata cantam Clube da Esquina

Amy Winehouse engorda 9 quilos e inspira grife de sapatos

Exclusivo: O Top DJ Astrix fala sobre sua passagem pelo Brasil

Sem mais artigos