Você pode querer bater na Madonna pra tentar entregar o título de Rainha pra Lady Gaga. Ou espancar a Britney Spears pra que a Miley Cyrus assuma a coroa de Princesa. Mas o lugar de Deusa do Pop já está ocupado pela Cher há nada menos do que meio século. E nesta terça-feira (20) ela completa 68 anos. O Virgula Música te dá seis motivos pelos quais devemos todos prestar homenagens e referendas à maior lenda viva mundo da música.

 

1) O primeiro álbum de Cher, All I Really Want to Do, foi lançado em 1965 (só pra você colocar as coisas em perspectivas, Madonninha tinha apenas sete anos quando isso aconteceu). Ela tem 26 álbuns lançados. O último, Closer to the Truth, foi lançado no ano passado. O que ela está fazendo esse ano? Rodando os Estados Unidos com a Dressed to Kill Tour, cheia de figurinos, cenários e coreografias.

 

2) Acha as garotinhas que dominam o mundo pop de hoje ousadas? Bom, elas (e a gente) precisam (precisamos) agradecer à Cher. Em 1975, recém separada do primeiro marido, Sonny, com quem dividia a carreira nos palcos e na televisão, Cher estreiou o seu primeiro programa solo e causou mó repercussão por ter mostrado o umbigo. Concorda que hoje uma tatuagem é tão revolucionária quanto, sei lá, compartilhar uma indireta no facebook? Bom, a Cher começou a enfeitar o corpo com tinta permanente quando isso ainda era tabu. “Quando eu me tatuei, só as garotas más faziam isso: eu, a Janis Joplin e as motoqueiras (…). Eu fiz uma assim que deixei o Sonny e me senti independente de verdade”. 

 

3) O seu clipe de 1989, If I Could Turn Back Time, foi o primeiro a ser banido pela MTV por causa do figurino da moça. Ele precisou ser editado pra tirar as cenas mais reveladoras e, mesmo assim, só era exibido depois das 21h.

 

4) Tudo bem, você quer voltar a falar de música? A gente selecionou uma playlist basiquinha da Cher, com uma galera aí que ela já se apresentou ao vivo. Uma galera de nada: David Bowie, Tina Turner, Elton John, Ray Charles… Ah, e Jackson 5. Isso, Jackson 5.

Cher e David Bowie

 

Cher, Tina Turner e Elton John

 

Cher e Elton John

 

Cher e Ray Charles

 

Cher e Jackson 5

 

5) Cher passou por um momento complicado quando a sua primeira filha, Chastity, se descobriu transexual, fez a cirurgia de mudança de sexo e passou a ser Chaz Bono. “Senti medo no início, mas estarei apoiando Chaz em qualquer decisão. Quero que ele seja feliz”, ela declarou. Um dos medos da cantora era que Chaz sofresse justamente por ser filho dela. “Eu pensei, ‘ela vai passar por um inferno porque seus pais são o Sonny e a Cher'”, a cantora contou para o jornal Metro. Ela é uma das vozes mais ativas em prol dos direitos da comunidade gay.

 

6) Cher também é atriz. E não, nada daquelas atuações vergonha alheia de gente que você só reza pra que continue em cima do palco cantando e não dentro de um set virando candidato pro Framboesa de Ouro. Logo no seu primeiro filme, James Dean, O Mito Sobrevive, de 1982, ela foi indicada ao seu primeiro Globo de Ouro, como atriz coadjuvante. E em 1983 ela levou, pelo filme Silkwook – O Retrato de Uma Coragem. Cher contracenou com Meryl Streep e também foi indicada ao Oscar e ao BAFTA. Aqui embaixo, veja os gifs do discurso dela ao receber o Globo de Ouro de Melhor Atriz Coadjuvante (e reparem que a Meryl, que também estava indicada na categoria, comemorou mais do que a própria Cher):

 

 

 

 

 

Bom, e nos resta agora desejar uma vida beeeem longa e beeeem próspera pra qualquer cantora pop que queira chegar aos pés da Cher, não é mesmo?

 

Sem mais artigos