Lily Allen foi colunista convidada na última edição da revista masculina Short List, que vem com a temática “Como Ser Um Homem”, e a repercussão de suas palavras não tem sido muito agradável. E não é pra menos. 

Ela, que criticou o sexismo do mundo pop na música Hard Out Here, fez uma série de críticas ao feminismo. “Feminismo. Eu odeio essa palavra porque ela nem deveria ser um tema mais. Nós somos todos iguais, todo mundo é igual. Por que até existe uma conversa sobre o feminismo? Qual é a versão masculina do feminismo? Não há nem uma palavra para isso. Masculismo. Homemnismo. Isso não existe”, ela declarou.

Lily disse ainda quem ela considera ser o maior inimigo da mulher. “Mas eu não acho que os homens sejam o inimigo. Eu acho que as mulheres são os inimigos. Eu sei que quando eu estou sentada em um restaurante e uma bela mulher entra, uma magra, eu instintivamente penso ‘Oh, ela é realmente magra e bonita, e eu sou realmente gorda e feia’. É uma coisa mais competitiva. É bizarro. Não é saudável e nós somos as nossas maiores inimigas”.

É, aparentemente Lily Allen entendeu tudo errado. E alguém tem uma passagem para o mundo em que a igualdade entre os sexos já é um fato consumado, no qual ela parece estar vivendo?

Sem mais artigos