Encerrando o segundo dia do Conexão Vivo em Belém, nesta sexta-feira (28), Gaby Amarantos, a grande esperada da noite, entra luminosa com um look high tech com luzes acionadas por controle remoto, especialmente desenvolvido para ela. Pelo Conexão, a diva já passou por Salvador (BA), Curitiba (PR), Castanhal (PA) e Marabá (PA), além de duas apresentações na capital paraense.

Mais uma vez, a cantora surpreendeu o público com um repertório que abordou não só os hits Faz o T, Hoje Eu Tô Solteira e a nova Xirley. Ela também passeou por clássicos da cumbia do merengue e do zouk, sonoridades familires aos paraenses que cresceram ouvindo músicas vindas de regiões próximas como Guiana Francesa.

LEIA MAIS: Música popular digital de Lucas Santtana balança Belém

Artistas ministram oficinas junto ao público no Conexão Vivo

Após a participação do convidado Marcelo Mira (RJ) e antes de chamar a Gang do Eletro (PA), a diva levou o público ao delírio com clássicos da aparelhagem como Poderoso Rubi e Luxuoso Jacksom.

Para Gaby, o Brasil está se reinventando musicalmente a partir do tecnobrega. “Estamos encarando uma nova fase, um novo modelo mercadológico. O Pará reinventou esse modelo sem precisar de gravadora. É um tipo de música sustentável”, explica.

Esse modelo é muito bem representado no seu novo clipe da música Xirley, dirigido pela paraense Priscila Brasil. O clipe foi gravado em quatro planos sequência, onde a protagonista, Xirley Xarque, começa morando numa invasão trabalhando como manicure até chegar no posto de pop star onde tudo brilha com muitas luzes, remetendo ao universo do tecnobrega.

Sem mais artigos