O cantor e ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil, revelou que consumia maconha até pouco tempo atrás. Gil fez essa declaração nas gravações de um documentário que será exibido pelo Biography Channel, no próximo dia 15. Nos anos 70, o cantor chegou a ser preso, durante a turnê dos Doces Bárbaros  – show histórico com Caetano Veloso, Gal Costa e Maria Bethânia – porque numa revista de uma blitz, acharam um pouco de maconha com ele.

O cantor afirmou que na temporada em que ficou exilado em Londres, consumiu muitos ácidos, mas que, para ele, só a maconha serve como uma “flanela na lente sentimental e musical”. “Toda vez que eu fumava, desembaraçava alguma coisa”, afirma Gil, sobre os efeitos da erva.

No livro Todas as Letras organizado por Carlos Rennó, Gil comenta sobre a letra de Abra o Olho (1974): “Sou eu pondo colírio nos olhos depois de ter fumado um cigarro de maconha, em Manaus”.

Veja trecho do filme Os Doces Bárbaros de Jom Tob Azulay (1977), com a cena do julgamento de Gil:

Gilberto Gil: "A maconha me acompanhou até pouco tempo atrás"

Sem mais artigos
Sair da versão mobile