O Samba de Coco Raízes de Arcoverde, de Pernambuco, que mantém a tradição do coco em sua forma mais original, apresenta-se no Sesc Belenzinho, em São Paulo, no dia 31, dentro do projeto De Lá pra Cá, que contempla as diversas manifestações populares brasileiras em suas mais variadas linguagens e leituras. 

Com influência das culturas negra e indígena, uma formação anterior ao grupo iniciou suas atividades em 1916, passou de geração em geração como um tradição familiar até dar origem, em 1992, ao grupo Samba de Coco Raízes de Arcoverde. Sua forte característica é o uso do trupé, um tamanco de madeira criado por Lula Calixto que deixou o ritmo mais acelerado.

O xaxado, o samba de roda e ritmos indígenas são fortes influências no coco feito pelo grupo. As letras compostas por seus integrantes são um retrato da vida simples do povo sertanejo, cantando os animais, a natureza, a alegria ou os sofrimentos, o amor e a religiosidade do povo simples.

Possuem duas categorias de dança no Samba de Coco Raízes de Arcoverde: o coco trocado, quando se dança em parelha de mãos dadas, indo para um lado diferente do acompanhante, e o coco de lenço, onde cada parceiro segura um lenço, fazendo os mesmo movimentos da outra categoria.

SERVIÇO

SAMBA DE COCO COM O GRUPO RAÍZES DE ARCOVERDE (PE)
Sesc Belenzinho 
R. Padre Adelino, 1000
Dia (31/8), entre 16h e 17h
Grátis

Sem mais artigos