O Coachella 2012, o último dia do último final de semana de realizações botando 95 mil pessoas por dia no deserto atrás 140 atrações, acabou em magia. Os destaques são muitos, mas vamos focar em dois.

A espetacular performance de encerramento do trio de rappers históricos Dr. Dre, Snoop Dogg e Tupac Shakur. E daí que o último deles morreu nos anos 90 e apareceu ontem cantando e dançando no Coachella?

Bom, vamos começar do começo.

Falar do calor, agora, já não precisa mais, né?  De novo os termômetros apontando que 40ºC (tava mais fresquinho!!) rachavam o coco no começo do dia, enquanto astros indies como o britânico Metronomy e a americana Santigold faziam shows incríveis ao sol.

Já no final de tarde, a banda indie punk sueca The Hives fez o show mais bagunceiro do festival. Rodas de pogo apareceram de novo no Coachella.
À noite, aconteceram ainda os “iluminados” shows do duo eletrônico Justice e da indie-ópera Florence & The Machine.

Mas o Coachella do domingo vai ser lembrado para sempre mesmo por causa de dois momentos.

O primeiro foi numa das tendas, abarrotada e com muita gente para fora, tudo para ver o show da banda do cantor belga-australiano Gotye, que até o ano passado não era ninguém, mas virou gente grande da música hoje por causa da combustão espontânea que causou um vídeo seu no Youtube. A música Somebody That I Used to Know, jogral ele-ela sobre um tumultuado fim de relacionamento (quem nunca?), atingiu a marca de 175 milhões de visita e deu ao acanhado Gotye status de estrela mundial.

Os últimos dias e as artes no Coachella

E lá estava a multidão (meninas principalmente) para cantar junto o hit de Gotye.
No final de semana passada, na primeira parte do Coachella, o cantor recebeu no palco a participação de Kimbra, cantora neozelandesa que faz a “parte feminina” do vídeo famoso. Ontem, Kimbra, em turnê própria, não pode vir, mas sem problemas. A tenda inteira (estimo que umas 6 mil pessoas) cantaram a parte de Kimbra para acompanhar Gotye. Impressionou.

No final de tudo, veio o melhor de tudo. Não contando o show do Radiohead, porque Radiohead tem que ser sempre analisado à parte, o grande espetáculo foi o apoteótico show de rap protagonizado pela dupla de peso pesados Dr. Dre e Snoop Dogg.

Grandes sucessos recentes do hip hop dos dois, músicas famosas de outros rappers, convidados especiais aos montes (Eminem, 50 Cent, Wiz Khalifa), Snoop Dogg fumando maconha no palco sem parar (e cantando com voz fina por causa disso) e, claro, o já famoso holograma de Tupac Shakur participando de uma música e dançando com Snoop Dogg.

Foi assustador e ao mesmo tempo inacreditável. Deram vida ao rapper assassinado em 1996 em uma emboscada treta, no auge de sua carreira (vendeu 75 milhões de discos).

Graças a efeitos de computação gráfica de última geração, Tupac Shakur “apareceu” no palco e nos telões, saudando o Coachella, cantando e interagindo com Snoop Dogg.

Esse show deve escrever uma nova fase na história da música. Dizem que Tupac Shakur vai sair em turnê americana com Dre e Dogg. Abriram o precedente. Já falam que o Michael Jackson em holograma já está sendo preparado, para um desses “shows do além”. Do jeito que vai, Kurt Cobain (morto em 1994) e seu Nirvana serão a atração principal do Coachella em 2013. Alguém duvida?

Sem mais artigos