Daddy Yankee

Capa de

Ao produzir Prestige, o sexto álbum da carreira, Daddy Yankee decidiu olhar para o passado. Usando Barrio Fino – o álbum do hit Gasolina – como inspiração, o cantor ícone do reggaeton pretende quer mais do que botar o estilo definitivamente no mapa; Yankee quer se tornar referência na urban music, termo usado para classificar a música negra contemporânea nos Estados Unidos.

Apesar de ter lançado dois álbuns desde Barrio Fino, El Cartel: The Big Boss (2007) e Daddy Yankee Mundial (2010), Daddy Yankee não hesita em chamar Barrio Fino de seu melhor trabalho, equiparado apenas, segundo ele, com o inédito Prestige.

“Eu não tenho dúvidas de que este é o meu melhor álbum ao lado de Barrio Fino. A questão [em Prestige] é que captamos a essência do reggaeton e trouxemos para os tempos modernos. As pessoas estavam esperando por um álbum deste tipo”, explica.

Segundo Yankee, cujo nome verdadeiro é Ramón AyalaPrestige é uma espécie de versão atualizada de Barrio Fino.

Prestige é mais atual, com elementos mais modernos”, diz. “Esse foi o meu maior desafio: unir o novo ao velho em um mesmo álbum. E com certeza superamos esse desafio. As críticas dizem que este álbum é excepcional. Então estou bem tranquilo com essa recepção dos críticos e dos fãs com quem pude conversar”.

Mesmo tendo uma boa cota de sucessos no currículo, especialmente na América Central, o maior hit de Daddy Yankee ainda é Gasolina. Apesar de reconhecer e comemorar o êxito do single, o cantor acredita ter composições melhores que essa em sua discografia, várias delas em Prestige.

“Eu amo Gasolina! Todo artista tem uma canção principal, que faz com que as pessoas se identifiquem com ele. É como Michael Jackson com Thriller, ou Bruce Springsteen com Born In The U.S.A.. Mas eu acho que tenho canções melhores que Gasolina”, acredita.

Entre suas preferidas no novo álbum, estão La Calle Moderna e 6 de Enero, faixas com letras mais sérias e reflexivas do que as cações sobre noitadas e baladas pelas quais costuma ser reconhecido. Na segunda delas, Yankee fala sobre a vez em que foi atingido por uma bala perdida em um confronto de gangues rivais, antes da fama.

La Calle Moderna é o meu ponto de vista sobre os problemas sociais que enfrentamos em Porto Rico, e eu quis que 6 de Enero fosse uma música que inspirasse as pessoas”, reflete. Isso não significa, no entanto, uma mudança tão significativa a longo prazo. “Eu sigo a música. Quando eu quero cantar sobre dançar em uma boate, eu canto”.

Prestige tem lançamento previsto para a próxima terça-feira (11).

Inspirado pelo próprio passado, Daddy Yankee quer se tornar referência com Prestige, seu novo álbum

Sem mais artigos