Em seu set de terça (6) à noite no programa Boiler Room Brazil x Skol Beats, que foi transmitido por streaming para o mundo todo, o mestre DJ Marky fez muitas reverências à música negra brasileira, especialmente à produzida nas décadas de 60 e 70. 

Na manhã desta quinta (8), logo após a notícia da morte do cantor Jair Rodrigues, o DJ postou em sua timeline no Facebook: “chocado com a perda do mestre Jair Rodrigues. Que Deus conforte o coração de seus familiares e fãs! Descanse em paz Sr. Jair Rodrigues”.

Em entrevista ao Virgula, Marky falou sobre a importância do músico, especialmente no cenário da música negra nacional. 

“Quando eu era pequeno, minha mãe e meu pai ficavam tocando um disco dele [O Sorriso do Jair], que tinha uma música chamada Disparada. Sempre que tocava essa música era uma festa em casa. Eles deixavam tocando direto esse disco, que tinha também Tristeza. Lembro de ver meus pais muito felizes quando rolava esse vinil em casa”, disse, emocionado.

“A gente chamava de ‘disco de churrasqueiro’, porque era perfeito pra tocar nessas ocasiões de festa. O Jair era um cara muito feliz, ele passava isso pras pessoas. Especialmente para nós, negros, é uma perda irreparável.

Jair Rodrigues sempre foi muito inovador. Tanto ele quanto Wilson Simonal, eles têm uma pegada muito interessante, de passar alegria e mostrar uma luz no fim do túnel. Ainda mais na época da ditadura, eles fizeram isso de uma maneira simples e fantástica”, diz.

Musicalmente, Marky é fã dos discos de Jair lançados nos anos 60 e 70. “Era muito cativante o jeito do Jair, a fase dele no Fino da Bossa, com a Elis Regina no palco, aquilo era impressionante. Acho que ele tinha uma alma muito brasileira, conseguia ser festivo apesar de todas as dificuldades. Ele conseguiu levar a música dele, de qualidade, pras pessoas de todas as classes, não tinha preconceito, ele fazia música boa, pra todo mundo. Lembro dele no Chacrinha, na Hebe, ele chegava e virava os programas de cabeça pra baixo. Diferentemente do Simonal, que teve um fim de vida muito triste, o Jair sempre manteve uma alegria gigante. Ele deixa um puta legado musical, além de uma família linda, os filhos músicos, cada um com seu talento. Grande perda”, resumiu o DJ.

 

Ouça abaixo as 5 melhores faixas de Jair Rodrigues eleitas pelo DJ Marky: 

1 – Tristeza

2 e 3 – Deixa isso pra lá/Vem Chegando a Madrugada: 

 

4 – Tengo Tengo:

5 – Disparada:

 

Sem mais artigos