Uma jam session reunindo três das principais atrações programadas para o marcou Natu Blues Festival marcou na terça-feira o primeiro dia do evento no Bar Opinião, em Porto Alegre, considerado um dos mais importantes do gênero no país.

A noite era do guitarrista Magic Slim, mas no momento do bis quem entrou para tocar foi o também guitarrista Hubert Sumlin, cujo show acontece apenas na quarta-feira.

Em seguida, o astro da noite voltou ao palco, seguido pela cantora Big Time Sarah, que se apresentará no último dia do festival, na quinta-feira.

Os três, acompanhados pela banda The Teardrops, de Slim, fizeram uma verdadeira farra. Ao som do cartão de visitas do anfitrião, “The Blues Is Alright”, a gorduchona Sarah rebolava, levando o público ao delírio.

O Natu Blues, que está em sua segunda edição, ocorre também em Curitiba, no Moinho São Roque, onde os shows da capital gaúcha serão reprisados de quarta a sexta-feira.

A primeira noite teve abertura do grupo paulista Nasi & Os Irmãos do Blues (liderado pelo vocalista do Ira!), que agradou o público gaúcho com suas covers animadas e bem-humoradas de clássicos blueseiros.

A banda fez vários improvisos, incluindo nas letras críticas a Roseana Sarney, Jader Barbalho e Fernando Henrique Cardoso.

Um dos maiores gaitistas de Chicago na atualidade, Carey Bell, toca nesta quarta-feira, acompanhado pela Natu Nobilis Blues Band, um selecionado de músicos do Sul e de São Paulo.

Depois dele apresenta-se Hubert Sumlin (com o André Christovam Trio), que durante 26 anos foi o braço direito de Howlin Wolf, um dos maiores mestres da história do blues.

Sarah vai encerrar o evento, acompanhada do trio paulista Blue Jeans, juntamente com o virtuoso guitarrista Coco Montoya, que já foi dos grupos de John Mayall e Albert Collins, e traz ao Brasil sua própria banda.

A última noite terá ainda abertura de grupos locais: Hoochie Coochie Band em Porto Alegre e Mr.Jack em Curitiba.

Sem mais artigos