Miley-Cyrus-and-her-dead-Petz-2015

Neste domingo rolou o VMA mais bafo dos últimos tempos (Kanye para presidente, Bieber chorando – veja aqui), mas quem lacrou geral foi Miley Cyrus! Além de comandar o evento como apresentadora, a cantora de apenas 22 anos fez um show cheio de drags e pegou todo mundo de surpresa ao anunciar que seu novo álbum, Miley Cyrus & Her Dead Petz , estava DE GRAÇA na internet.

Vale ressaltar que o disco foi feito com apenas 50 mil dólares e de forma totalmente independente (ela quebrou o contrato com a RCA), e lançou através da plataforma mais roots de todas; o Soundcloud.

Claro que a gente correu lá para ouvir o trabalho de 23 músicas e 92 minutos, e logo sacamos que a ex-Hannah Montana deixou as influências pop de Bangerz de lado, e se jogou abertamente na psicodelia. Tudo culpa (das boas) de Wayne Coyne, dos Flaming Lips. Miley se juntou a ele e entrou nesse mundo doido-fofo do cara.

Só que Miley nem é tão fofa assim. Ela veio pra mudar as regras, falando abertamente sobre drogas, bebida e sexo nas músicas, com a mesma naturalidade de quem atende o telefone e diz alô. É o mundo que ela está moldando e que aos poucos vai se tornando o nosso também.

Quer entender melhor esse novo trabalho dela? Dá o play abaixo, deixe as músicas rolando e se ligue no que achamos das faixas. São influências que vão do ragga até Bowie.

1. Dooo It! 

Miley já chega chocando! Maior hit do disco, com umas batidas trip hop e que foi apresentado no VMA.”Sim, eu fumo maconha! Sim, eu amo a paz. Mas eu não dou a mínima, eu não sou nenhuma hippie”, grita ela, e termina com “Paz, filho da puta (faça isso)! Por que eles colocam o pau na buceta? Foda-se”. GEEEEENTE!!!! Que isso, Miley?

PicMonkey Collage

2. Karen, Don’t Be Sad

Baladinha totalmente psicodélica. Com certeza tem o dedo de Wayne Coyne. Pra aquela hora em que o onda da erva da Miley tá batendo forte.

3.  The Floyd Song (Sunrise)

Momento fofo e triste logo no começo. Música feita para seu cachorro Floyd, que foi para o céu no ano passado (snif!)

4. Something About Space Dude

Baladinha acústica para ouvir enquanto dá um role pelo espaço. Isso mesmo! David Bowie se orgulharia.

maxresdefault (3)

5. Space Boots

Parece continuação da anterior. Continua pelo espaço, mas segue numa outra direção, para uma galaxia mais pop. Sacou?

6. Fuckin Fucked Up

Os beats de rap voltam a aparecer. Mas é só uma vinheta muito pirada.

7. BB Talk

Miley recita texto, dá indiretas para um cara e ainda canta bonitinho nessa canção ultra pop sobre ‘foder’! (??)

486013554-miley-cyrus-arrives-on-the-red-carpet-at-the-mtv-video.jpg.CROP.promo-xlarge2

8. Fweaky

CERTEZA que Miley andou escutando Lana Del Rey. Nessa faixa, ela canta como a nossa musa-indie-depressiva-glamourosa-de-instagram. “Na sua cama, no seu carro. Na terra, ou até nas estrelas. Quero estar onde você está, mesmo que isso signifique ir longe demais”, canta ela

9. Bang Me Box

Maior groove! Poderia ser a Get Lucky do disco. A gente até imagina a guitarrinha de Nile Rodgers ao fundo. Será que ela andou ouvindo Daft Punk?

10. Milky Milky Milk

Batidas nervosas e uma melodia MARAVILHOSA que lembra as músicas das Haim e Bat For Lashes. A letra é sobre lamber mamilos. Ui!

maxresdefault (4)

11. Cyrus Skies

Lana Del Rey aparece aqui de novo. Baladinha fúnebre, pra ouvir 110% deitada.

12. Slab of Butter (Scorpion)

“As únicas leis que obedeço são as que faço pra mim”, canta Miley em mais uma balada psicodélica espacial que é a cara dos Flaming Lips. Nessa hora já tá todo mundo em órbita.

13. I’m So Drunk

Em menos de um minuto de música a gente lembra da Grimes na hora. A letra fica repetindo “Eu estou tão bêbada”. Eu sei, Miley, nós sabemos.

14. I Forgive Yiew

A junção das baladas antigas de Miley + loucurinhas dos Flaming Lips, com leve influência de ragga e dancehall no refrão.

mgid-uma-image-mtv (1)

15. I Get So Scared

Gente, que música triste! Miley deve ter passado por uns mal bocados. Não aperte o play se estiver tendo um dia ruim.

16. Lighter

As batidas dos anos 80 aparecem. Tem um clima meio Diana Ross. Aqui, Miley está mais esperançosa: “Quando eu preciso de fogo, você sempre é o meu isqueiro”.

17. Tangerine

Big Sean dá o ar da graça nessa faixa psicodélica a lá lábios flamejantes (mais uma!)

18. Tiger Dreams

Momento Pink Floyd, só que modernex e com participação de Ariel Pink. Essa os fãs já conheciam, pois ela andou cantando em seus shows recentes.

mgid-uma-image-mtv

19. Evil Is But a Shadow

Nem tudo nessa parceria com Coyne é colorido. Miley também tem andando por terras escuras e perigosas: “O mal é apenas uma sombra. Uma sombra neste mundo”, canta ela. Lana Del Rey passou por aqui de novo.

20. Sun

Agora a parada é outra! A luz aparece e o ritmo fala alto. Imagine uma Summertime Sadness feita pra buatchy?

21. Pablow The Blowfish

Música escrita para o seu peixinho que morreu. Miley à capela e ao piano, está com saudade e até chora =/

2015 MTV Video Music Awards - Instant View

22. Milet Tibetan Bowlzzz

Chegamos na parte ‘zen’ do disco. Meditação, paz, leveza e gratidão são as influências dessa faixa instrumental.

23. Twinkle Song

“Eu tive um sonho que o David Bowie me ensinou a andar de skate. Mas ele tinha a forma do Gumby”. A frase dessa baladinha define a onda forte que Miley está vivendo.

Que garota! Miley é o futuro!

Agora se você perdeu o VMA, a gente te mostra em fotos os melhores momentos:

 

 

Sem mais artigos