A rainha do pop mal estreou sua nova turnê, MDNA, na última quinta-feira (31), em Tel Aviv, em Israel, e já causou uma baita polêmica.

Segundo informações do jornal Daily Mail, durante a performance de Revolver, Madonna segurou algumas armas, entre elas um fuzil AK-47. E na música Gang Bang, simulou um assassinato.

O contraditório é que logo no comecinho do show, a cantora fez um discurso em que revelou que o motivo da escolha da cidade de Tel Aviv para inicar a turnê foi por querer promover a paz mundial.

“Escolhi começar a turnê por Israel por um motivo muito específico e importante. Vocês não podem ser meus fãs e serem contra a paz mundial, todos nós sangramos nas mesmas cores. Nós deveríamos nos colocar acima de nossos egos, títulos, nomes de nossos países e religiões. Deveríamos tratar a todos com dignidade e respeito, e então estaríamos no caminho da paz”, disse.

Em um comunicado, a ONG britânica Mães Contra Armas desaprovou a atitude: “Alguns pais levarão seus filhos para os shows dela e não estamos confortáveis com o fato da apresentação de armas letais”.

Já a organização Infer Trust, que presta assistência psicológica para quem já foi atingido por uma arma de fogo e sobreviveu, também se manifestou: “Pessoas que foram feridas (por armas) vão achar extremamente desagradável (ao assistir ao show)”.

A turnê ainda vai passar por diversos países e desembarca aqui no Brasil em dezembro.

Confira no vídeo abaixo uma das polêmicas cenas: 

Sem mais artigos