Após 30 anos, Marisa Monte lança novo álbum

Qual é a melhor/ Não importa qual/ Não é tudo igual/ Mas todas dão em algum lugar/ E não tem que ser uma única/ Todas servem pra sair ou para entrar“. Este é um trecho da música “Portas” que inicia o álbum homônimo lançado por Marisa Monte nesta quinta-feira (01), data em que a cantora também comemora 56 anos de idade. Em um cenário caótico, em que o medo e a insegurança são os sentimentos mais recorrentes, Marisa canta sobre esperança e novas saídas, ou entradas, em seu novo álbum.

Com as gravações agendadas para maio de 2020, Marisa Monte teve que se adaptar ao novo protocolo sanitário e encontrar uma alternativa. Neste meio tempo, as faixas “Vagalumes”, com Arnaldo Antunes, “Sal” e “Você não Liga”, com o Marcelo Camelo, foram compostas. Além disso, Camelo trouxe a música dele, “Espaçonaves”, que já estava pronta. Além de Camelo e Antunes, o álbum conta com a participação de Chico Brown, Flor e Seu Jorge.

Em novembro, após a pausa e com novas faixas no repertório, uma nova porta se abriu. Mais especificamente uma janela, a do Zoom, para gravação à distância. O plano de viajar para Nova York para com intuito de gravar com uma segunda banda foi deixado de lado e deu lugar para uma nova maneira de gravação. “Calma” e “Portas” foram as escolhidas, o co-produtor Arto Lindsay com a banda no estúdio na rua 37, em Nova York, e equipe de Marisa no Rio, a tentativa deu certo e o resultado completo está disponível nas plataformas de streaming. Além das gravações feitas em diferentes lugares (Rio, Nova York, Lisboa com Marcelo e Los Angeles com Flor), a mixagem e a masterização do álbum seguiu na mesma linha, a primeira feita no Rio, Los Angeles e Nova York e o último processo em Nova York

O álbum ainda conta com uma expansão visual feita por Marcela Cantuária, mesma artista que fez a capa do disco. “Acompanhar a produção de artistas plásticos, visitar exposições e conhecer as novidades são sempre um prazer pra mim. Mas nesse período isso só foi possível filtrado pelas telas do computador. A Marcela Cantuária é uma das artistas que eu seguia há cerca de dois anos e suas pinturas foram uma das janelas que eu mantinha aberta para o mundo durante o isolamento“, explica Marisa em nota.

Em “Portas” tanto nas músicas quando na adaptação para produção do álbum, Marisa Monte nos lembra, através de sambas, bossas e soul, da existência de novas possibilidades. Uma porta para ser fechar, ou abrir, não há caminho certo, afinal como a ela canta todas dão em algum lugar. Basta abrir alguma, porque em algum lugar você vai chegar.

Marisa Monte lança o álbum "Portas" e nos lembra da existência de novas possibilidades

Sem mais artigos
Sair da versão mobile