Nicki Minaj deu uma franca entrevista à revista semanal do jornal inglês The Guardian. A cantora falou sobre suas músicas polêmicas, infância conturbada e o vício de seu pai em álcool e drogas. Nascida em Trinidad, no Caribe, e batizada como Onika Tanya Maraj, mudou-se aos cinco anos com a família para o bairro Queens, em Nova York.

A rapper contou detalhes sobre as dificuldades que passou assim que chegou aos Estados Unidos. “Ele era um pesadelo, principalmente quando estava bebado ou drogado. Quando usava crack, ficava um pouco mais calmo. Porém, o problema era mesmo o álcool, que o deixava agressivo e extremamente violento”, contou.

“Nós fomos obrigados a mudar de casa muita vezes. Minha mãe trabalhava como enfermeira, fazia de tudo para para dar conforto para mim e meu irmão. Mas, toda vez que estavamos em uma nova casa, meu pai conseguia nos encontrar. Eu sentia muito, muito medo dele.”

Sobre suas canções obscenas, Nicki mostra bom senso e preocupação com as crianças. “Eu não quero crianças falando palavrão. Eu sou bem restrita com minhas sobrinhas e meu irmãozinho. Eles têm que ouvir as versões limpas das minhas músicas”, disse.

Ainda segundoo ela, há uma viés machista quando as pessoas pedem para ela diminuir o conteúdo sexual de suas rimas. “Por que as pessoa pedem para eu cortar os palavrões? Elas pedem isso para o Eminem ou para o Lil’ Wayne? É por puro machismo, os homens não gostam de ver uma mulher falando as mesmas coisas que eles dizem”, finalizou.



Sem mais artigos