Baby do Brasil

Beto Figueroa/MIMO Baby do Brasil

Oferecendo uma programação inteiramente gratuita e com line-up 100% feminino, a 14a. edição do MIMO Festival levou música da mais alta qualidade a Paraty nesse fim de semana, além de filmes inéditos no Festival MIMO de Cinema, e workshops e palestras com os artistas. A organização do festival também divulgou o line-up completo da edição do Rio de Janeiro.

A cantora Baby do Brasil, sempre original e irreverente, foi uma das atrações principais do evento, com seu novo show, “Baby do Brasil Experience”, e levou a plateia ao delírio com hits como “Masculino e Feminino”, e “Menino do Rio”. “Nunca tinha vindo a Paraty. É um lugar maravilhoso para estrear essa turnê. Vim com tudo. Vocês já me conhecem, podem esperar tudo de mim. Tenho nada de careta, não”, disse Baby, feliz da vida no palco.

“Houve ainda espaço privilegiado no evento para a representatividade trans, em uma noite apenas para elas no palco principal, na Praça da Matriz, com “Liniker e os Caramelows” e o grupo “As Bahias e A Cozinha Mineira”, estreando a turnê do CD “Bixa”, nome dado em alusão ao histórico “Bicho”, de Caetano Veloso”, afirmou texto de divulgação do megaevento.

“Paraty é das travestis. Estamos tomando esse espaço com as unhas”, bradou Assucena, líder das Bahias, no palco. E, como não podia deixar de ser, o MIMO apresentou novidades internacionais arrebatadoras, como a cantora inglesa Ala.ni, que emocionou com seu concerto na Igreja da Matriz, e a diva africana Oumou Sangaré, que é conhecida no Mali por sua luta pelo Direito das Mulheres.

Liniker

Beto Figueroa Liniker

A cantora carioca Iza, que recentemente soltou a voz no Rock in Rio ao lado do rapper americano Cee-lo, fez um show acústico no Forte Defensor Perpétuo. A conceituada cantora portuguesa Teresa Salgueiro, ex-cantora do Madredeus e que está lançando novo álbum, “O horizonte”, fez uma palestra sobre o fado e Amália Rodrigues e encerrou o festival, no palco da Matriz, no domingo. Foram três dias de evento, e um total de 24 mil pessoas circulando pela cidade.

No Festival de Cinema, com curadoria de Rejane Zilles, destaque para duas estrelas da música reverenciadas agora no telão: os filmes “Ilu Obá de Min – Uma homenagem a Elza Soares, a Pérola Negra”, de Beto Brant; “Clara estrela”, de Susanna Lira e Rodrigo Alzuguir, sobre Clara Nunes, que fez sua première em Paraty. “Estamos muito felizes de esta aqui porque é um festival de música muito importante, e se Clara estivesse viva, com certeza estaria aqui”, disse Susanna.

Na Etapa Educativa, a necessária ocupação de espaços públicos pela cultura e o patrocínio continuado foram os principais tópicos abordados no encontro das diretoras do MIMO Festival, Lu Araújo, e da Flip, Belita Cermelli, promovido pelo British Council. A atividade ocupou a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios, em Paraty, na manhã de sábado, como parte da grade de cursos da academia internacional de festivais. As diretoras trocaram informações com o público sobre as suas experiências à frente dos dois mais importantes festivais da cidade, que movimentam o turismo e o comércio da região. “Não é fácil fazer projetos como o MIMO, é um desafio, mas a gente faz. Amor é o principal. E eu amo muito o que faço”, resumiu Lu.

O MIMO Festival, com patrocínio do Ministério da Cultura, Bradesco e Cielo, é uma realização da Lu Araújo Produções e da Musickeria.

 PROGRAMAÇÃO MIMO FESTIVAL RIO DE JANEIRO

 CONCERTOS

DIDIER LOCKWOOD FRANÇA

10 NOV • SEX/FRI • 18h30 • Igreja da Candelária – Irmandade do Santíssimo Sacramento da Candelária

Sucessor de Stéphane Grappelli, o aclamado violinista do jazz e fantástico improvisador homenageia no MIMO seu mestre, falecido há exatos 20 anos. Com mais de 40 anos de carreira, 4 mil apresentações e turnês pelo mundo, Didier Lockwood, que começou no rock progressivo, teve encontros incríveis, desde Richard Galliano e Mike Stern até os Violons Barbares, e recebeu importantes prêmios, como o Victoires du Jazz, o Sacem e o Django d’Or. Ao lado do guitarrista Adrien Moignard  e do baixista Diego Imbert, mostrará músicas do gipsy jazz – ligadas à história do grande violinista e autor, que criou com o guitarrista e parceiro Django Reinhardt, em 1934, o célebre Quinteto de Cordas de jazz do Hot Club de France – hits da dupla, como “Minor swing” e “Nuages”, além de standards, a exemplo de  “I got rhythm” e “Misty”.

3MA MADAGASTAR/ MALI/ MARROCOS

RAJERY, BALLAKÉ SISSOKO & DRISS EL MALOUMI

10 NOV • SEX/FRI • 19h • Espaço Cultural BNDES – Auditório Arino Ramos Ferreira

O excepcional trio é formado por exímios músicos de cordas dedilhadas, mestres de instrumentos emblemáticos e tradicionais do Extremo Sul ao Extremo Norte da África, que já haviam alcançado o reconhecimento da crítica internacional em suas carreiras solo. O renascentista Rajery com sua valiha, o mágico da koraBallakéSissoko e o incrível oudista Driss El Maloumi reuniram-se pela primeira vez em Agadir, fizeram outro concerto memorável em Antananarivo e saíram em turnê pela Europa para promover “Contre-jour” (2008). Depois de anos, voltaram a tocar em “As rotas da escravidão”, primoroso projeto do gambista, regente e compositor catalão Jordi Savall e a gravar este excepcional diálogo no álbum “Anarouz”, que lançam no MIMO em concerto exclusivo no Brasil.

DJ MONTANO

10 NOV • SEX/FRI • 18h30 • Palco Marina da Glória

Pesquisador musical de diferentes épocas, sempre antenado nas novas tendências e raridades, destaca em seus sets o sambalanço, samba-jazz, maracatu, latin groove, New Bossa, Tropicália, soul music, afrobeat, ska, acid jazz e funk. Integra o Acarajazz, Conecta Música Visual, YaYa High-Fi, Tropicana e Ser Hurbano. Criou o projeto Zirigmundi e foi VJ residente no MIMO Festival no Rio, Paraty e Olinda em 2015 e 2016. Fez discotecagem no Rivalzinho, Fábrica Bhering, Circo Voador, Viradão Carioca, Boulevard Olímpico, Jogos Cariocas de Verão (Parque Madureira), Réveillon de Copacabana, participou da Ocupação Etnohaus (Pedra do Sal) e do Bossa Sunset, com Marcelinho da Lua. Abriu shows da banda Nouvelle Vague, Orquestra Voadora, Carlos Dafé, Arnaldo Antunes e Suricato.

ALINE PAES

Participação especial JÚLIA VARGAS

10 NOV • SEX/FRI • 19h30 • Palco Marina da Glória

A cantora carioca apresenta seu novo concerto, “Ancestrais”, em que estabelece um diálogo contemporâneo entre as músicas do Brasil, Portugal e países africanos, como Angola e Cabo Verde, através de canções e ritmos como o funana, semba, maculelê, kuduro, morna e carimbó. A expansão de seu repertório surgiu das seguidas viagens a Portugal, onde fez uma série de concertos para mostrar o elogiado CD de estreia, “Batucada canção” (2015), como o encerramento do MIMO Amarante e a série “Faro pelo mundo”, além de Londres. Ela se apresenta ao lado do renomado Bernardo Aguiar (percussão e eletrônicos), os guitarristas Diogo Sili e André Siqueira, o baixista Max Dias e o percussionista Bóka Reis. O concerto tem a participação de Júlia Vargas, que fez shows com Milton Nascimento e Criolo e está lançando o segundo álbum, “Pop banana”.

FRANCISCO EL HOMBRE BRASIL /MEXICO

10 NOV • SEX/FRI • 21h • Palco Marina da Glória

Formada pelos irmãos mexicanos Sebastián e Mateo Piracés-Ugarte e os brasileiros Juliana Strassacapa, Andrei Kozyreff e Rafael Gomes, a jovem banda de Campinas (SP), que canta em português e espanhol, lançou em 2015 o EP “La Pachanga!” e está comemorando o aniversário do álbum de estreia, ”SOLTASBRUXA” (2016). Com discurso político e social, tem seu nome inspirado no músico andarilho de “Cem anos de solidão”, de García Márquez, encontrando na estrada e no cotidiano a inspiração para as suas músicas. Misturando ritmos latinos ao rock e à música brasileira, fez mais de 600 shows e tocou em festivais latino-americanos – Cuba, Uruguai, México, Argentina e Chile – e nacionais. O vídeo “Triste, louca ou má” alcançou mais de 2 milhões de views, tornou-se um hino feminista e a música foi indicada ao Grammy Latino de “melhor canção em língua portuguesa”.

ONDATRÓPICA COLÔMBIA

10 NOV • SEX/FRI • 22h30 • Palco Marina da Glória

O coletivo, concebido pelo instrumentista colombiano Mario Galeano, maestro da banda Frente Cumbiero, e o produtor britânico Will Holland, reuniu artistas de várias gerações e estilos, a fim de que reinterpretassem o patrimônio musical da Colômbia, com um pé na tradição e outro na modernidade. Foram lançados dois álbuns – “Ondatrópica” (2012) e o recente “Baile Bucanero” – em que cúmbia, o curralão, a gaita e o porro se misturam ao hip hop, funk, dub, jazz e ska. O resultado superou todas as expectativas, foi aclamado pela crítica e será mostrado ao público brasileiro pelos veteranos Markitos Micolta (voz) e Michi Sarmiento (sax), o trompetista Leon Pardo, o baterista Pedro Ojeda (bateria), o percussionista Freddy Colorado (percussão) e os idealizadores Galeano (baixo e guacharacha ) e Holland (guitarra e acordeão).

KONONO N ° 1 (Congo)

10 NOV . Sex/Fri • 00h • Palco Marina da Glória.

A ideia de eletrificar a tradicional música dos bakongo surgiu nos anos 1960, quando o mestre do limkebé Mingiedi Mawangu recrutou alguns músicos e utilizou peças do ferro-velho na amplificação, originando distorções imprevistas. Devido à guerra civil, o som original, selvagem e hipnótico do coletivo só vingou em 2004, com o lançamento de “Congotronics”, que atraiu a crítica mundial, as plateias de rock e música eletrônica dos EUA, Europa e Japão e rendeu inúmeros convites para festivais. O grupo gravou com Björk, foi indicado ao Grammy em 2008 com “Live at Couleur Café” e participou do premiado “The Imagine Project”, de Herbie Hancock. Saiu com “Assume crash position”, em 2010, e voltou a figurar nas principais listas com “Konono Nº1 meets Batida” (2016), produzido pelo DJ luso-angolano Pedro Coquenão. Com a morte do líder em 2015, seu filho Augustin assumiu o comando. 

SONS DE SOBREVIVÊNCIA

11 NOV • SÁB/SAT • 16h • Igreja de Nª Sª de Bonsucesso

Duo de percussão formado por Simone Sou e Guilherme Kastrup, o Soukast surgiu em 2005, depois de uma longa turnê pelos EUA e Europa ao lado do cantor e compositor Chico César. O desejo de utilizar a percussão como única fonte de expressão artística levou os músicos a um diálogo experimental e vigoroso. O duo convidou o pianista e arranjador e compositor Benjamim Taubkin para um concerto e o resultado foi surpreendente. Os encontros se tornaram mais frequentes nos palcos e foi parar no estúdio, com a gravação do CD “Sons de sobrevivência” (2016), lançado no Brasil e nos EUA. Enquanto o duo utiliza elementos da música tradicional brasileira nas composições, como o jongo e as congadas, Taubkin cria harmonias, contracantos e improvisos, dando cor e forma às harmonias e melodias que estão implícitas nessas obras.

DJ MONTANO

11 NOV • SÁB/SAT • 16h30 • Palco Marina da Glória

Pesquisador musical de diferentes épocas, sempre antenado nas novas tendências e raridades, destaca em seus sets o sambalanço, samba-jazz, maracatu, latin groove, New Bossa, Tropicália, soul music, afrobeat, ska, acid jazz e funk. Integra o Acarajazz, Conecta Música Visual, YaYa High-Fi, Tropicana e Ser Hurbano. Criou o projeto Zirigmundi e foi VJ residente no MIMO Festival no Rio, Paraty e Olinda em 2015 e 2016. Fez discotecagem no Rivalzinho, Fábrica Bhering, Circo Voador, Viradão Carioca, Boulevard Olímpico, Jogos Cariocas de Verão (Parque Madureira), Réveillon de Copacabana, participou da Ocupação Etnohaus (Pedra do Sal) e do Bossa Sunset, com Marcelinho da Lua. Abriu shows da banda Nouvelle Vague, Orquestra Voadora, Carlos Dafé, Arnaldo Antunes e Suricato.

RELÓGIO DE DALÍ

VENCEDOR PRÊMIO MIMO INSTRUMENTAL

11 NOV • SÁB/SAT • 17h30 • Palco Marina da Glória

O quarteto reúne virtuosos e criativos instrumentistas, compositores e arranjadores, que são requisitados por diferentes formações e áreas de atuação, desde a participação em orquestras até as montagens teatrais e apresentações ao lado de grandes nomes da música brasileira. A experiência de cada um dentro do grupo permite que, juntos, rompam com sucesso as barreiras entre as músicas popular e erudita. Respirando contemporaneidade, o Relógio de Dalí realiza concertos marcantes, como o que fizeram com Hermeto Pascoal em 2015. Integrado por Yuri Villar (sax), Victor Ribeiro (violão), Pablo Arruda (baixo) e Lourenço Dias de Vasconcellos (bateria), o grupo está lançando um EP com obras autorais.

 MANEL CRUZ PORTUGAL

11 NOV • SÁB/SAT • 19h • Palco Marina da Glória

Vocalista, guitarrista e letrista da cultuada banda de rock Ornatos Violeta, que ganhou notoriedade e o reconhecimento da crítica nos anos 1990, ele mantém o posto de um dos artistas mais populares da música portuguesa na atualidade. Manel Cruz está de volta aos palcos e faz a sua estreia no Brasil, através do MIMO Festival, no Rio de Janeiro e Olinda, com seu novo e aguardado concerto solo, “Extensão de Serviço – Rumo à Idade Mídia” – que levou o público europeu ao delírio no encerramento da recente edição do festival brasileiro na cidade de Amarante. O músico apresentará composições inéditas e sucessos de carreira, tocando ukulelê, banjo e teclados, acompanhado por Edú Silva (baixo e teclados), NicotTricot (flauta transversal, teclados, guitarra elétrica) e António Serginho (percussão e teclados).

VIEUX FARKA TOURÉ MALI

11 NOV • SÁB/SAT • 20h30 • Palco Marina da Glória

Carismático instrumentista, compositor e cantor, ele é um dos mais competentes artistas da atualidade e foi considerado pelo jornal “The Guardian” como “o novo herói da guitarra africana”. Dono de notável destreza técnica, invenção rítmica, paixão e surpreendente segurança no palco, seduz o público com seus riffs e solos, acrescentando elementos do rock, da música latina, do funk, do R&B e do jazz ao deslumbrante fraseado que herdou do pai, o respeitado e saudoso guitarrista Ali Farka Touré – que obteve reconhecimento mundial com seu Malian blues. Em turnê mundial, o músico de 36 anos mostrará no MIMO o novo álbum, “Samba” – que marca seu retorno ao estúdio, desde a gravação do aclamado “Mon pays” (2013) – ao lado de Mamadou Koné (bateria e percussão) e Marshall Henry (baixo).

EMICIDA, RAEL E CAPICUA BRASIL/PORTUGAL

11 NOV • SÁB/SAT • 22h • Palco Marina da Glória

Com repertório inédito, o projeto “Língua franca” celebra a língua portuguesa, através da reunião de dois consagrados rappers brasileiros a dois igualmente talentosos rappers portugueses. Em dez dias, Rael, Emicida, Capicua e Valete se trancaram em um estúdio de Portugal para finalizar e gravar as dez músicas do álbum, produzido por Kassin, Fred Ferreira e Nave, onde juntam seus diferentes sotaques, rimas e cadências. O single “Ela” já ultrapassou a marca de 1, 5 milhão de visualizações e o projeto transatlântico está indicado ao Grammy Latino, na categoria “melhor canção urbana”, com A chapa é quente!”Mostrado no festival SuperBock SuperRock, em Lisboa, o concerto luso-brasileiro de hip hop será apresentado , pela primeira vez no Brasil, no palco do MIMO Festival, com a participação da cantora e MC portuguesa Capicua, dos dois rappers de São Paulo, do baterista Felipe da Costa e do DJ Nyack.

EMIR KUSTURICA & THE NO SMOKING ORCHESTRA SÉRVIA

11 NOV • SÁB/SAT • 00h • Palco Marina da Glória

Livre de qualquer rótulo, Emir Kusturica & The No Smoking Orchestra é um fenômeno mundial, que vem se apresentar no Brasil, no MIMO Festival. O premiado cineasta de Saravejo – “Quando papai saiu em viagem de negócios”, “Vida cigana”, “Underground” e “Gato negro, gato branco”, entre outros – apresentará no MIMO a sua “Fiesta gitana” e o tema inédito “Cerveza” A TNSO surgiu inovando, ao fundir os sons dos Balcãs aos instrumentos elétricos e foi se abrindo para outras vertentes, como as músicas cigana e contemporânea, com o mesmo entusiasmo e liberdade do início. O repertório traz músicas de todos os discos da banda, desde “Das ist Walter” (1984), quando os críticos a definiram como “Gitano-tecno-rock”, até o mais recente, “Unzaunza time”, além de músicas que estarão no novo álbum a ser lançado ainda este ano.

LAURA PERRUDIN FRANÇA

12 NOV • DOM/SUN • 15h • Igreja de Nª Sª da Glória do Outeiro

A jovem harpista, compositora e cantora de voz cristalina, que mais parece a extensão de seu instrumento, causou impacto junto ao público e à crítica (“Le Monde”, “Les Inrocks” e BBC) com o álbum de estreia, “Impressions”, em 2015. Destaque do Talents Adami Jazz 2017, a artista constrói um universo singular, por meio de sua harpa cromática eletrificada, inspirada pelo jazz, hip hop, soul, eletrônica e a música tradicional de diferentes regiões do mundo. Revela as afinidades entre essas linguagens distintas, por meio de ricas estruturas harmônicas e melodias originais e, por vezes, agrega a sua música moderna a poemas de autores ilustres, como Blake, Yeats e Joyce. No recém-lançado “Poisons & antidotes”, aventura-se em paisagens sonoras que evocam de Björk e Portishead a Debussy, Ravel e Wayne Shorter.

DJ MONTANO

12 NOV • DOM/SUN • 17h • Palco Marina da Glória

Pesquisador musical de diferentes épocas, sempre antenado nas novas tendências e raridades, destaca em seus sets o sambalanço, samba-jazz, maracatu, latin groove, New Bossa, Tropicália, soul music, afrobeat, ska, acid jazz e funk. Integra o Acarajazz, Conecta Música Visual, YaYa High-Fi, Tropicana e Ser Hurbano. Criou o projeto Zirigmundi e foi VJ residente no MIMO Festival no Rio, Paraty e Olinda em 2015 e 2016. Fez discotecagem no Rivalzinho, Fábrica Bhering, Circo Voador, Viradão Carioca, Boulevard Olímpico, Jogos Cariocas de Verão (Parque Madureira), Réveillon de Copacabana, participou da Ocupação Etnohaus (Pedra do Sal) e do Bossa Sunset, com Marcelinho da Lua. Abriu shows da banda Nouvelle Vague, Orquestra Voadora, Carlos Dafé, Arnaldo Antunes e Suricato.

 RUSSO PASSAPUSSO

12 NOV • DOM/SUN • 18h • Palco Marina da Glória

O carismático cantor e compositor, nascido em Feira de Santana e que se mudou na adolescência para a capital, destacou-se na cena independente de Salvador como vocalista do BaianaSystem – grupo inspirado nos sound systems da Jamaica, misturando o rap e o dub à guitarra baiana, que ganhou projeção nacional e visibilidade mundial. Dono de uma força criativa admirável e autor de versos originais, o artista de 35 anos surgiu como um dos MCs do coletivo MiniStereo Público e participa de outros projetos, como o Goma-laca. Em 2014, lançou o primeiro álbum solo, “Paraíso da miragem”, mais introspectivo e em quem funde o samba ao rock. Russo se apresentará ao lado de Curumin (bateria), Saulo Duarte (guitarra), Zé Nigro (teclado), Lucas Martins (baixo), Edy Trombone (trombone) e Maurício Bade (percussão).

PAULO FLORES ANGOLA

12 NOV • DOM/SUN • 19h30 • Palco Marina da Glória

Consagrado compositor, músico e cantor de voz doce e quente, vibrante e grave, o artista angolano, de 45 anos, mudou-se ainda criança com a família para Portugal, fugindo da guerra civil. Com dupla cidadania, vive em Lisboa e é uma das principais referências do semba no mundo. Revisita o gênero, através de suas matrizes tradicionais e inspirado pela tradição urbana de Luana, e seus discos são manifestos culturais, onde reafirma seu pensamento humanista. Embaixador da Boa Vontade da ONU em Angola, com quase 30 anos de carreira – começou gravando kizomba aos 16 anos (“Kapuete”) – Paulo Flores (voz e violão) mostrará no MIMO o novo álbum, “Bolo de aniversário”, e outras canções, ao lado de Manecas Costa (guitarra), Mayo (baixo), Gobliss (teclados), João Ferreira (percussão) e Ivo Costa (bateria).

 

CRIOLO

12 NOV • DOM/SUN • 21h • Palco Marina da Glória

Incensado como uma das revelações da MPB e admirado por astros como Chico Buarque, Caetano Veloso e Ney Matogrosso, o rapper paulistano expande a sua arte e o seu público, investindo com maestria também em outros gêneros. Ganhou projeção nacional com o segundo álbum, “Nó na orelha” – três vezes vencedor do Prêmio da Música Brasileira e eleito o melhor de 2011 pela “Rolling Stone Brasil”, de que foi extraído o sucesso “Não existe amor em SP”. Carismático, faz concertos lotados no Brasil e turnês bem-sucedidas no exterior e tem álbuns prensados no mercado internacional pelo selo britânico Sterns Music. No MIMO, mostrará o novo CD, “Espiral de ilusão” (2017), inteiramente dedicado ao samba e do qual emplacou, de imediato, o hit “Menino mimado”.

ETAPA EDUCATIVA

WORKSHOP VIDEO-CENÁRIO E O PROCESSO CRIATIVO DO VJ

MINISTRANTE/ INSTRUCTOR: VJ MONTANO

10 NOV • SEX/FRI • 10h • Museu da República

O Vídeo Jockey Montano, colaborador do Festival MIMO, apresentará seus processos criativos, introduzindo o público na arte do VJ, demonstrando o que é Video-Cenário, Video-mapping, todo o processo de produção das imagens e cenários e a performance do VJ durante os diferentes contextos de atuação, enfatizando o lado artístico do ofício. Dirigido a interessados em artes visuais, videoarte, vjing, video-cenário, os participantes serão espectadores, não haverá participação ativa.

WORKSHOP MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE INSTRUMENTOS DE SOPROS

MINISTRANTE/ INSTRUCTOR:  SÁVIO NOVAES

10 NOV • SEX/FRI • 10h • Museu da República

O luthier fluminense de instrumentos de sopros, referência em seu ofício no Brasil,falará sobre a manutenção de instrumentos de madeiras e metais,  orientando o público sobre os procedimentos básicos e avançados para uma eficiente manutenção e conservação de seus instrumentos. Dirigido a luthiers, instrumentistas de sopros (madeiras e metais) e ao público em geral.

WORKSHOP PERCUSSÃO

MINISTRANTE/ INSTRUCTOR: SIMONE SOU

10 NOV • SEX/FRI • 15h • Museu da República

Destacada percussionista na atualidade, ao lado do parceiro Guilherme Kastrup no duo Soukast, Simone falará sobre os ritmos tradicionais do Brasil e a percussão não convencional utilizada pela dupla, desde os tambores a objetos sonoros e elementos eletrônicos. Demonstrará como a percussão pode ser protagonista de um discurso musical único, rico em paisagens sonoras, tendo ritmos tradicionais – jongo, moçambique e congada – como principal meio de expressão, compreendendo a sua origem e a importância que têm para a nossa música.

WORKSHOP IMPROVISAÇÃO PARA CORDAS

MINISTRANTE/ INSTRUCTOR: DIDIER LOCKWOOD FRANÇA

11 NOV • SÁB/SAT • 10h • Museu da República

O aclamado e experiente violinista de jazz e mestre da improvisação vai abordar este tema e também a criação coletiva para cordas friccionadas (violinos, violas, violoncelos e contrabaixos), através de exercícios de ritmo e técnica de arco, propondo a sistematização do estudo de escalas e modos, além da utilização de elementos de técnica expandida. A atividade é dirigida a instrumentistas de cordas friccionadas de todos os níveis de conhecimento. Os candidatos não selecionados como executantes podem ser convidados a participar como ouvintes.

WORKSHOP CORDAS AFRICANAS: TRADIÇÃO E ELO ENTRE CULTURAS

MINISTRANTE/ INSTRUCTOR: 3MA – RAJERY BALLAKÉ SISSOKO DRISS EL MALOUMI MADAGASTAR/ MALI/ MARROCOS

11 NOV • SÁB/SAT • 10h • Museu da República

Abordagem etnomusicográfica do trabalho dos três importantes artistas e seus respectivos instrumentos de cordas: a valiha, a kora e o oud.  Os mestres Rajery, Sissoko e Maloumi, que construíram sólidas carreiras solo, voltaram a se reunir depois de anos e estão promovendo o novo álbum do trio, “Anarouz”. Falarão sobre o fruto deste memorável encontro e o ponto de convergência musical das três diferentes culturas, do Extremo Norte ao Extremo Sul da África. Dirigida a instrumentistas de cordas dedilhadas, friccionadas, percussionistas, etnomusicólogos e estudantes de música em geral.

WORKSHOP TECNOLOGIA COMO FERRAMENTA PARA A COMPOSIÇÃO

MINISTRANTE/ INSTRUCTOR: LAURA PERRUDIN FRANÇA

11 NOV • SÁB/SAT • 15h • Museu da República

A jovem harpista, compositora e cantora, que chamou a atenção do público e da crítica europeia, desde o álbum de estreia, “Impressões” (2015), e figura como Destaque do Talents Adami Jazz, é aclamada pela originalidade de suas melodias e suas ricas estruturas harmônicas. Ela abordará seus processos criativos, a aplicação de técnicas de improvisação como ferramenta para a composição e a utilização de novas tecnologias, que permitem expandir as possibilidades timbrísticas e sonoras do compositor. A aula se destina a instrumentistas de nível avançado, compositores e compositores/instrumentistas.

WORKSHOP INTRODUÇÃO À MÚSICA TROPICAL COLOMBIANA

MINISTRANTE/ INSTRUCTOR: ONDATRÓPICA COLÔMBIA

12 NOV • DOM/SUN • 11h • Museu da República

 O encontro com os integrantes de diferentes gerações e estilos da banda, liderada pelo maestro Mario Galeano (Frente Cumbiero) e o produtor britânico Will Holand, proporcionará uma viagem pelas diversas regiões colombianas. Inicialmente, serão abordadas as diferentes características da música do país tropical e, em seguida, sob a ótica puramente musical, com os tradicionais ritmos, formas e melodias sendo demonstrados e analisados aos participantes.

WORKSHOP O BLUES DO DESERTO, HISTÓRIA E PRÁTICA

MINISTRANTE/ INSTRUCTOR: VIEUX FARKA TOURÉ MALI

12 NOV • DOM/SUN • 11h • Museu da República

 O carismático e virtuoso guitarrista, cantor e compositor malinês, filho do vencedor do Grammy Ali Farka Touré, é um dos principais representantes do blues de seu país na atualidade. A paixão e a destreza de suas interpretações conquistaram a crítica e o público internacional e Vieux foi considerado pelo jornal britânico “The Guardian” como  “o novo herói da guitarra africana”. Neste encontro, o músico abordará os aspectos históricos do desert blues e a sua evolução através das gerações, demonstrando interativamente os elementos técnicos e rítmicos básicos desta linguagem musical.

 FÓRUM DE IDEIAS

DESAFIOS, TRANSFORMAÇÕES E CONFLITOS DO MÚSICO NA ATUALIDADE

POR/BY BENJAMIN TAUBKIN

10 NOV • SEX/FRI • 15h • Museu da República

O aclamado pianista, arranjador e compositor faz concertos em diversos países, se dedica ao diálogo da música brasileira com outras culturas e colabora com instrumentistas do Marrocos, África do Sul, Índia, Israel, Espanha e América Latina. Ele está, desde 1997, à frente da gravadora, produtora e centro cultural Núcleo Contemporâneo, de São Paulo, e vai falar sobre a sua experiência e as principais mudanças no ambiente musical no Brasil e no mundo nos últimos anos.

SEMBA, MATRIZ DE VÁRIOS RITMOS

POR/BY PAULO FLORES ANGOLA

11 NOV • SÁB/SAT • 15h • Museu da República

Consagrado compositor, músico e intérprete, o angolano Paulo Flores vai falar sobre as origens do semba, gênero musical muito popular em seu país. A palavra “semba” significa umbigada, em kimbundo (língua africana falada ao Noroeste de Angola). Considerado um dos mestres da música angolana e exímio nas misturas de ritmos e sonoridades, o artista apresentará o semba como matriz de vários ritmos africanos e brasileiros.

A AVENTURA SOLITÁRIA DAS PALAVRAS E RIMAS

POR/BY CAPICUA E MANEL CRUZ PORTUGAL

12 NOV • DOM/SUN • 15h • Museu da República

Dois dos maiores representantes da música portuguesa na atualidade, a jovem rapper e MC Capicua, que participa do vitorioso projeto luso-brasileiro “Língua franca” (gravado por ela, Emicida, Rael e Valete), que foi indicado ao Grammy Latino, e o veterano vocalista, guitarrista e letrista, que integrou a lendária banda Ornatos Violeta, Manel Cruz, que estreia no Brasil com o projeto solo “Extensão de Serviço – Rumo à Idade Mídia”, vão trocar suas impressões sobre o processo de criação e o uso da palavra na composição.

FESTIVAL MIMO DE CINEMA

 TAMBORES AFRO-URUGUAIOS 13 min

Direção: Naouel Laamiri e Rafael Ferreira

10 NOV • SEX/FRI • 18h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

O SOM DO TEMPO 104 min

Direção: Arthur Moura

10 NOV • SEX/FRI • 18h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

NA VIA LÁCTEA 125 min

Direção: Emir Kusturica

10 NOV • SEX/FRI • 20h30 • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

 CANTA UM PONTO 26 min

Direção: Luciano Dayrell e João Carlos Silveira

11 NOV • SÁB/SAT • 16h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

SOBRE NOIZ 70 min

Direção: Emicida, Ênio César e Evandro Fióti

11 NOV • SÁB/SAT • 16h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

CINEBIOGRAVURA 28 min

Direção: Luís Rocha Melo

11 NOV • SÁB/SAT • 18h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

TORQUATO NETO – TODAS AS HORAS DO FIM 87 min

Direção: Eduardo Ades e Marcus Fernando

11 NOV • SÁB/SAT • 18h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

HÍBRIDOS, OS ESPÍRITOS DO BRASIL 85 min

Direção: Priscilla Telmon e Vincent Moon

11 NOV • SÁB/SAT • 20h30 • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

A RETIRADA PARA UM CORAÇÃO BRUTO 15 min

Direção: Marco Antonio Ferreira

12 NOV • DOM/SUN • 16h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

SOTAQUE ELÉTRICO 93 min

Direção: Caio Jobim e Pablo Francischelli

12 NOV • DOM/SUN • 16h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

ENTRE O TRAÇO E A LUZ 12 min

Direção: Zeca Ferreira

12 NOV • DOM/SUN • 18h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

BAMBAS 20 min

Direção: Anná Furtado

12 NOV • DOM/SUN • 18h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro

FEVEREIROS 71 min

Direção: Marcio Debelian

12 NOV • DOM/SUN • 18h • Cine Odeon – Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro 

CHUVA DE POESIA

MULHERES POETAS PELO MUNDO

12 NOV • DOM/SUN • 16h • Igreja de Nª Sª da Glória do Outeiro

Poemas de Ana Cristina Cesar, Hilda Hilst, Sophia de Mello Breyner Andresen, Marina Tsvietáieva, Safo, Emily Dickinson, Rupi Kaur, Chiyo-ni e Sono-jo.

Sem mais artigos