O ministro russo Dmitri Rogozin chamou Madonna de “ex-prostituta” no Twitter, após a cantora sair em defesa da banda punk russa Pussy Riot e causar polêmica durante sua passagem pela Rússia, na última semana.

O grupo pode ser condenado a três anos pode prisão por terem se manifestado contra o governo do presidente russo Vladimir Putin, e Madonna defendeu a liberdade das integrantes.

Revoltado, Rogozin despejou sua ira contra Madonna em seu perfil no Twitter.

“Toda ex-prostituta quer dar lições sobre moralidade a todo mundo conforme fica mais velha”, escreveu. “Especialmente durante turnês e shows no exterior. Ou tire sua cruz, ou coloque as calças”.

Nesta quinta-feira (9), Madonna se apresentará em São Petersburgo, onde as autoridades aprovaram uma lei que proíbe qualquer propaganda homossexual sob pena de multa.

Madonna já adiantou em sua página do Facebook que manifestará seu apoio aos homossexuais durante este show na antiga capital imperial. “Não fujo da adversidade. Falarei durante minha atuação sobre esta ridícula atrocidade”, declarou a cantora.

Sem mais artigos