3. Paul McCartney; arrecadação US$ 3.230.728; preço médio do ingresso, US$ 130.21.

(Foto: divulgação) Paul McCartney

Paul McCartney é capa da edição de agosto da Rolling Stone EUA, e óbvio que a revista bateu um papo com o eterno Beatle, que não dava entrevista há dois anos. Na conversa, Macca fala sobre alguns assuntos bem interessantes: sua relação com Yoko Ono na época da banda e atualmente, o porque não faz uma turnê com Ringo Starr, qual é sua opinião sobre os Rolling Stones, e relembra sua época nos Fab Four.

“Um monte de coisas que fizemos em Hamburgo foram instigadas por mim, depois absorvidas pelos outros caras”, diz McCartney sobre como tudo começou. “Nos Beatles eu era o cara que empurrava-os. Ninguém teria arrancado suas bundas do subúrbio para sairmos da cidade [e ir até a Alemanha]. Foi um trabalho bom que fiz”.

Sobre a relação que mantinha com Yoko Ono, esposa de John Lennon na época, o músico recorda: ‘Meu grande despertar foi: se John ama essa mulher, tem que ser certo. Percebi que eu tinha que superar qualquer resistência. Foi um pouco difícil no começo. Agora somos companheiros. Eu gosto de Yoko. Ela é tão Yoko (risos).

Sir-Paul-McCartney-Yoko-Ono-Sean-Lennon-Ringo-Starr-Grammy-Awards-2014-feud-friends-456317

(Foto: reprodução) Paul e Yoko

Com shows interruptos, a RS pergunta o por que Paul não faz uma turnê junta com Ringo Starr, seu ex-companheiro de banda. “Nós nos reunimos algumas vezes para coisas como o Rock and Roll Hall of Fame, mas para uma turnê juntos? Acho que qualquer um de nós já pensou nisso, mas nossos caminhos são paralelos, com cruzamentos e desvios. Ringo é um grande baterista, um grande homem. Ele passa uma sensação que ninguém mais tem. Quanto a cair na estrada juntos, pode ser complicado”, diz.

Para finalizar a conversa de forma clássica, a famosa questão: você estará tocando com os Stones no festival Desert Trip, então, como você os vê hoje? “Eu vejo aquela pequena banda que sempre conheci. Eles tem Mick, Keith e Charlie que sempre estiveram lá, e Ron, que se uniu aos Stones depois. Vejo uma boa banda de rock and roll – não tão boa quanto os Beatles, mas boa (risos), brinca McCartney.

Aproveite e relembre em fotos o showzão que Paul fez em SP em 2014:

Sem mais artigos