A canção Bohemian Rhapsody, um dos mais emblemáticos hits do Queen, é “melhor que sexo” para os britânicos, enquanto a faixa Sexual Healing, de Marvin Gaye, ajuda a “animar” uma relação, aponta o estudo A Ciência Por Trás da Canção, publicado nesta quarta-feira (24) no Reino Unido.

A pesquisa, encomendada pela Spotify e desenvolvida pelo psicólogo musical Daniel Müllensiefen, da Universidade de Londres, procurou examinar a relação entre música, amor e sedução a partir da opinião de 2 mil britânicos com idades entre 18 e 91 anos.

O resultado da pesquisa evidencia um conjunto de listas com as canções que melhor acompanham um jantar para dois, um encontro na pista de dança e, inclusive, uma relação sexual, onde a lenda Marvin Gaye aparece como um grande vencedor.

Seu tema Sexual Healing ocupa o primeiro lugar da lista As 20 melhores canções para se animar, enquanto a música Let’s Get it On, também de Gaye, é a favorita para um jantar romântico.

Segundo Müllensiefen, “a música é capaz de ativar as mesmas zonas de prazer do cérebro que a comida e o sexo”, tema onde um entre cada três entrevistados citou a faixa Bohemian Rhapsody como a mais ideal.

A lista com As 20 canções melhores que o sexo, liderada pela clássica música do Queen, ainda destaca Sex On Fire, do Kings of Leon, e Angels, de Robbie Williams.

O psicólogo assinalou que o êxito destas “obras-primas épicas” reside em sua capacidade de “superar nossas expectativas musicais” e ir “por um caminho diferente”.

Já no dormitório, tanto os britânicos como as britânicas apontaram a trilha sonora de Dirty Dancing – Ritmo Quente como a música mais excitante, uma lista que também inclui o clássico Bolero, de Ravel.

Como conclusão, o estudo também destaca que mais de 40% das pessoas entrevistadas dizem escutar música durante as relações sexuais.

Sem mais artigos