Black Sabbath

Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath
Black Sabbath

O Black Sabbath está de volta com Ozzy Osbourne nos vocais
após quase 35 anos. Em entrevista exclusiva ao programa Fantástico, da Rede
Globo, transmitido na noite de ontem (7), o músico falou sobre essa nova fase,
sem drogas e com um novo álbum da banda, intitulado 13.

Durante seus 64 anos, o vocalista não levou uma vida
exatamente saudável. Ainda assim, sua voz soa clara e forte no novo trabalho. “Eu
não fumo mais, não uso mais drogas e bebo só de vez em quando”, explicou.

13, lançado no começo de junho, possui apenas músicas
inéditas, a maior parte delas, assinada pelo baixista e compositor Geezer
Butler
, que acompanhou Ozzy na entrevista. Quando questionado se suas letras macabras
ainda faziam sentido, Butler respondeu: “O mundo hoje está cada vez mais
sombrio”.

Da formação original, apenas o baterista Bill Ward não
encarou o retorno da banda. Segundo Ozzy, “ele não aguentaria duas horas de
show”. O guitarrista Tony Iommi aderiu a reunião, mas combinou com seus
companheiros de realizar intervalos para se tratar de um câncer linfático.

O Black Sabbath se apresenta no Brasil  no dia 9 de outubro, em Porto Alegre, dia 11
em São Paulo, e dia 13 no Rio de Janeiro.

'Não fumo, não uso drogas e bebo só de vez em quando', garante Ozzy

Sem mais artigos