Lady Gaga

Divulgação Lady Gaga

A NFL negou ter dado instruções para que Lady Gaga evitasse comentário sobre política durante sua apresentação no intervalo do Super Bowl. “É falso”, disse  à CNN Natalie Ravitz, vice-presidente sênior de comunicações da NFL. “Isso é um absurdo de pessoas tentando causam polêmica onde não existe. O Super Bowl é um momento em que as pessoas realmente se reúnem e Lady Gaga está focada em montar um show incrível para os fãs e nós amamos trabalhar com ela; não vamos ser distraído por isso”.

Segundo o Entertainment Tonight, a Mãe Monstro, que apoiou Hillary Clinton, havia sido orientada a não “dizer qualquer coisa ou trazer qualquer coisa sobre a eleição ou mencionar Donald Trump”.

Após a eleição, em novembro, Gaga protestou em cima de um caminhão de lixo na frente do escritório de Trump  em Nova York. A CNN lembrou também que o campeonato começou com Colin Kaepernick, quarterback do San Francisco 49ers, sentado em protesto durante o hino nacional dos Estados Unidos por não querer “mostrar o orgulho da bandeira de um país que oprime negros”. O Super Bowl será no dia 5 de fevereiro.

Sem mais artigos