É, nem tudo foram flores no grunge. Mesmo. E Kim Gordon, ex-Sonic Youth, resolveu bater a língua nos dentes sobre duas das personalidades mais marcantes do período, Courtney Love, do Hole, e Billy Corgan, do Smashing Pumpkins, ou, de acordo com a artista, a senhora egocentrismo e o senhor resmungão.

O livro de memórias de Gordon, batizado de Girl In A Band (Garota em uma Banda), tem alguns momentos dedicados aos colegas de profissão. A baixista disse que, quando conheceu Courtney Love, no começo dos anos 90, simplesmente assumiu que a vocalista tinha alguma doença mental.

“Ninguém nunca questionou a desordem por trás daquela tarântula do glamour de LA — sociopatia, narcismo — porque aquilo era um bom rock and roll, um bom entretenimento! Eu tenho baixa tolerância a comportamentos manipulativos e egomaníacos, e sempre tinha que me lembrar que talvez aquela pessoa fosse doente”, escreveu Gordon. OUCH!

Já algumas farpas foram dedicadas a Billy Corgan quando ela lembrou do ~romance secreto~ entre ele e Love: “Courtney nos pediu conselhos sobre seu ‘caso secreto’ com Billy Corgan. Eu pensei ‘ewwww’ só de ouvir o nome dele, de quem ninguém gostava porque ele era um bebê chorão e os Smashing Pumpkins se levavam a sério demais e não eram punk rock de jeito nenhum”.

Aiai, essas tretas.

A gente adora.

Discos da era grunge

<b>Nirvana</b>, <i>Nevermind</i> - Maior expoente da era grunge, o <b>Nirvana</b> estourou mundialmente com seu segundo disco, <i>Nevermind</i>. Com hits como <i>Smells Like Teen Spirit</i>, <i>Come As You Are</i>, <i>Lithium</i> e <i>In Bloom</i>, o grupo formado por <b>Kurt Cobain</b>, <b>Krist Novoselic</b> e <b>Dave Grohl</b> gozou de um sucesso meteórico que culminou em tragédia. Cobain não aguentou as pressões da fama e suicidou-se em 1994.

OUTCH! Kim Gordon chama Courtney Love de narcisista e Billy Corgan de bebê chorão

Sem mais artigos