Pe Lu, guitarrista e vocalista do Restart, contou em uma entrevista para o UOL Esporte sobre o tempo em que jogou nas categorias de base do Corinthians. Mas, segundo diz na matéria, abandonou o sonho de ser atleta profissional por não aguentar o cansaço de uma rotina que incluía escola, música e treino.

Na comparação entre futebol e música, Pe Lu acredita que a bola tem mais ibope no coração dos brasileiros. E usa como exemplo seu amigo Neymar. “É diferente do assédio que nós temos. É meio louco. Eu não acompanho, mas um meia do São Paulo deve parar o shopping. O Neymar é um astro. Nós fomos ao show do Exalta. Eu cheguei com o Thomas (baterista do Restart) e a galera veio atrás, mas quando o Neymar entrou, a balada parou,” falou o músico na matéria do UOL.

Pe Lu começou a jogar com oito anos no Juventus e depois se inscreveu num projeto no Corinthians chamado “Chute Inicial”. Com 13, ele passou numa peneira no time alvinegro. Jogou por um ano na base do Corinthians, na posição de volante. Chegou a ganhar um título, do Campeonato Paulista da categoria.

Sobre suas qualidades como atleta, Pe Lu não se faz de modesto: “Eu jogava melhor que o pessoal que treinava, mas não era craque. Tem muito moleque que passa 24h com bola no pé, aí não dava para competir. Eu era titular, se tivesse continuado seria um jogador mediano, ia dar [para virar atleta profissional]. Assim como na banda, acredito que tudo depende de você e do seu esforço”, disse ao UOL.

Pe Lu é palmeirense. Acabou no Corinthians por influência da irmã mais velha, que, assim como o resto da família, torce pelo time do Parque São Jorge. 

Relembre imagens da gravação do primeiro DVD do Restart, em 2010

Sem mais artigos