Anderson Noise, Dudu Marote e Felipe Venâncio

Anderson Noise, Dudu Marote e Felipe Venâncio

O Tomorrowland começou nesta sexta (1º) e vai até domingo. Com 180 mil ingressos vendidos em menos de três horas, o festival confirma a tendência de alta da música eletrônica. Boa parte desse interesse pode ser traduzido em três letrinhas: EDM. Para aproveitar o embalo da megarave de Itu, nós perguntamos para top DJs e produtores se a EDM ajuda ou atrapalha a cena.

A sigla que significa nada menos que Electronic Dance Music é motivo de controvérsia, do tipo ame-a ou deixe-a. Para alguns, ela pode ser a porta de entrada para um tipo mais elaborado de música eletrônica, atraindo um novo público para um mercado estagnado, outros a veem como música meramente comercial, sem nenhum valor artístico. Por fim, há ainda os que rejeitam a divisão simplista entre mal e bem, que lembra, inclusive, o Fla e Flu da política atual.

Veja em nossa galeria o que pensam alguns nomes da velha e da nova escola da eletrônica, como Mau Mau, Anderson Noise, Dudu Marote, Felipe Venâncio, Andy, L_cio, Tahira, Elekfantz, Leo JaneiroRafael Cury, da Funky Fat, e outrosE mande também a sua opinião nos comentários.

Sem mais artigos