Pioneiro da cena de 'queer music' no Brasil, Daniel Peixoto lança segundo disco solo

Divulgação Pioneiro da cena de ‘queer music’ no Brasil, Daniel Peixoto lança segundo disco solo

Pioneiro da cena de queer music brasileira como vocalista da banda de electropunk Montage, Daniel Peixoto lançou nesta segunda (8) Massa, segundo disco solo do cantor e compositor cearense.

“Massa como a gíria nordestina que quer dizer cool, excitante, e massa como as massas que podem ser atingidas pelas tão diversificadas referências desse novo e fresco trabalho de um artista que transcende o conceito de música como plataforma para artes visuais, teatrais, militância, moda e poesia”, afirma texto de divulgação do artista.

“Com suas letras autobiográficas que falam da liberdade de dentro para fora da cultura de gueto, Daniel expõe com esse trabalho seu lado mais maduro pessoal e musical. Conectando suas memórias do passado a uma visão pessoal do que espera do futuro”, completa.

Em 2013, ele convidou o produtor paulista Wendel V para produzir algumas faixas do que hoje resultou no disco. Além de Wendel, que atua como diretor da escola de música eletronica Beatmasters em São Paulo, o músico cearense fez questão de ter também em seu novo trabalho a banda que o acompanha desde 2010, e que batizou ironicamente de Héteros Cearenses, em alusão à frequente pergunta sobre a sexualidade do seus antigos parceiros da banda Montage, que projetou Daniel no cenário artístico nacional em 2005.

Com Wendel, Daniel produziu sete faixas (Even If I Blind, Amigo do Tempo, Sertão superstar, Aura Negra , Till the day is done, Vai dar certo e Viva o louco). Com Os Héteros Cearenses, tendo como produtor seu guitarrista/baixista Rodrigo Brandão (Leela/Brolies and Apples) foram feitas quatro canções (Permitido, Tua boca, Bodas de Marfim e um cover para Colégio de Aplicação “lado B” da banda Novos Baianos).

Além de Brandão, participam os músicos Carlos Gadelha (O Jardim das Horas) e Xavier Francisco (SoulZe e Aglomerado). As outras duas faixas que completam álbum foram feitas em forma de featuring, com os produtores João Brasil (Dos Hits Michael Douglas e Moleque Transante) e do multistrumentista cearense Ivan Timbo, do projeto de Dub Sepassando Records. As faixas são Crush (manda Nude) e Massa, respectivamente.

Peixoto contou ainda com participações do icônico cantor Edson Cordeiro, da rapper carioca Bebel du Guetto, da cantora e apresentadora Bianca Jhordão, vocalista do Leela, além dos conterrâneos Nayra Costa e Marcos Lessa, ambos apresentados ao Brasil através do programa The Voice, onde chegaram às semifinais.

Sonoramente, o disco reflete a personalidade artística de Daniel, um balaio de misturas que o cantor traz em suas experiências, filho de pai carioca e mãe cratense, do Cariri do Ceará, Daniel busca em suas raízes fontes de inspiração, aliadas a referencias adquiridas através de imersão por suas viagens pelo Brasil e exterior, tudo aliado a sempre presente sonoridade eletrônica, gênero que Daniel se mantém fiel desde seus primeiros trabalhos profissionais com música, em 2004.

Esse mix de referências leva o álbum a ser dividido em três momentos, O primeiro deles onde é possível notar os beats eletrônicos mesclados a samba, capoeira e macumba; o segundo fortemente inspirado pelo reggae e dancehall atual “obsessão” sonora do músico e por fim o bom e velho rock, em nítida referência a seu trabalho com a banda Montage.

Links do álbum:

Spotify: https://open.spotify.com/album/5oivkFg4xlAB7ebHyEaQ4V
iTunes: https://itunes.apple.com/br/album/massa/id1222620944
Deezer: http://www.deezer.com/album/39374021
YouTube: https://www.youtube.com/playlist?list=PLx-Rwih-kVjUcy4nqK7XJH0QGBbVIjKG4

Baixe o álbum gratuitamente em:

www.danipeixoto.tnb.art.br

Sem mais artigos