Transformação de David Bowie ao longo dos anos

No começo da carreira, os terninhos eram obrigatórios. Aqui, em 1966, Bowie apresenta-se no programa de TV Ready, Steady, Go, em Londres

O último vídeo de David Bowie, The Next Day, no qual aparece como um profeta corrompido em companhia dos atores Gary Oldman e Marion Cotillard, foi retirado nesta quarta-feira (08) do portal Youtube poucas horas após seu lançamento.

O vídeo foi retirado sem que a empresa explicasse os motivos, apesar de ainda se pode ser visto no Vevo.

O vídeo de The Next Day, o single que dá título ao álbum com que o músico britânico encerrou em março uma década de silêncio, transcorre em um sórdido bar carregado de referências religiosas, sangue, flagelações e sexo.

No cenário, Bowie toca com sua banda, vestido como um profeta, e passam por ele prostitutas, clientes, freiras e até um cardeal a quem os sacerdotes que visitam a casa de jogo clandestino fazem reverência.

Um desses padres, briguento e chulo, é interpretado por Oldman, que protagoniza uma dança intensa e sensual com Cotillard, cujas mãos depois começam a sangrar, em referência a um dos estigmas de Jesus Cristo.

O vídeo foi criado por Bowie, de 66 anos, e dirigido pela italiana Floria Sigismondi, produtora de outros muitos trabalhos para artistas como Leonard Cohen, Katy Perry e The Raconteurs.

Quando o padre vê a dançarina sangrando no chão se volta para o “messias” Bowie e grita: “Está vendo? Isso é culpa tua. E você se considera profeta?”.

O clipe termina com vários dos protagonistas reunidos em torno de David Bowie, sobre o qual cai um feixe de luz e que, de um sótão, diz antes de desaparecer: “Obrigada Gary, obrigada Marion, obrigada a todos”.

Veja o clipe “proibido” The Next Day

Por motivos religiosos, clipe de David Bowie é retirado do Youtube; veja no Vevo

Sem mais artigos