Se você é um paulistano antenado, provavelmente já está sabendo que o Public Enemy, “os Beatles do hip-hop”, como disse o nosso prefeito Fernand Haddad (PT), irá se apresentar na cidade nesse sábado (18). Certo? E, o melhor de tudo é que será gratuito! O evento acontecerá no Clube de Regatas Tietê, a partir das 15h, marcando a liberação da área de shows do clube, reaberto no finalzinho de setembro.

Já que Chuck D, Flavor Flav e seus manos estarão entre nós, listamos cinco motivos para você saber porque o prefeito de São Paulo tem toda razão sobre o grupo americano. Veja abaixo, e Fight The Power!

1. Lutando pelo povo

Junto de Run DMC e Beastie Boys, o Public Enemy foi um dos grupos pioneiros do hip hop americano. Só que diferente dos seus parceiros da cena, Chuck D e Flavor Flav direcionavam suas rimas e críticas à política e mídia americana. Cantando a favor do povo negro, o grupo sempre se posicionou mantendo interesse nas frustrações e preocupações das comunidades afroamericanas. O hit Fight The Power fala por si só:

 

2. Estilo é pra quem tem

Assim como é até hoje, os rappers sempre gostaram de se vestir bem e lançar modas: o Run DMC se vestia de preto. Mike D, dos Beastie Boys, usava um medalhão do símbolo da Wolkswagen pendurado no pescoço. Já Flavor Flav, vestia macacões coloridos e andava por aí carregando um relógio enorme (igual aqueles de parede) em seu colar. Saca só o style dele:

 

3. Influenciando geral

O maior grupo de rap do Brasil, o Racionais MC’s, é nitidamente influenciado pelo som do Public Enemy. E daí veio o rap nacional. Em um texto do livro Indiscotíveis, Emicida disse que, quando ouviu Public Enemy pela primeira vez, ficou p*to da vida porque achou que os gringos estavam copiando os beats de KL Jay. Mas foi exatamente ao contrário; Mano Brown & Cia se inspiravam naquele som feito pelo PE e o transportavam para realidade de São Paulo.

 

4. Sangue latino-americano

Em 1991, o Public Enemy fez seu primeiro show no Brasil, numa apresentação histórica no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Mas a passagem do grupo pelo país também ficou marcada positivamente por sua visita à Favela da Vila Operária, em Santo Amaro, na Zona Sul, sendo os primeiros artistas estrangeiros do hip-hop a visitar uma comunidade brasileira.

5. Influenciando geral – parte 2 

Tudo bem, sabemos que o primeiro crossover entre o rap e o rock foi feito pelo Run DMC e o Aerosmith, com a música Walk This Way. Mas quando o Public Enemy se juntou ao grupo de trash metal Anthrax, ambos criaram a música Bring The Noise, levando a junção de estilos a um nível mais pesado. Podemos alegar que, sem essa união, bandas como Rage Against The Machine, Body Count, Limp Bizkit, Charlie Brown Jr., e tantas outras não existiriam hoje.

 

Sem mais artigos