Scott Weiland, o ex-vocalista dos Stone Temple Pilots, processará os antigos colegas por terem conspirado contra ele e usarem indevidamente o nome e a obra do grupo, sem sua autorização. O músico pede 4 milhões de euros de indenização.

“Como é que expulsam o homem que criou, deu o nome, é vocalista, escreveu todas as letras e foi a cara da banda ao longo de 20 anos?”, diz Scott, afirmando em seguida: “isso não se faz, mas é o que eles estão fazendo”. 

Scott Weiland, um dos elementos fundadores da banda nascida em 1986, foi demitido em fevereiro, após afirmar que o grupo é seu. Os outros três integrantes do Stone Temple Pilots resolveram processar o cantor alegando que ele estaria utilizando o nome e as canções da banda para promover o seu projeto a solo.

Para provar que está certo, Weiland está munido de um acordo assinado pelos quatro músicos em 1996, e atualizado em 2010, que segundo ele permite que cada elemento da banda atue em carreira solo. Porém, o acordo não permite a utilização do nome Stone Temple Pilots em projetos paralelos. O músico diz ainda que tentou conversar com os ex-colegas diversas vezes mas que foi sempre ignorado.

Recentemente a banda apresentou Chester Bennington, dos Linkin Park, como novo vocalista dos Stone Temple Pilots e, na semana passada, explicou que a intenção do processo movido contra o ex-vocalista não é de o humilhar. “Queremos olhar para a frente de forma produtiva, mas as escolhas e atos do Scott nos impediram de fazer isso”, defenderam.

Sem mais artigos