Se antes amigos, familiares e até crushes eram as grandes fontes para descobrir novos artistas e canções, na nova era eles perderam espaço para os algoritmos. Uma pesquisa feita pela MRC Data/Nielsen Music aponta que serviços de streaming se tornaram a principal referência para descobertas musicais.

Como publicado pela Billboard, 62% das pessoas entrevistadas  afirmaram que as plataformas estão entre suas principais fontes de descobertas, enquanto 54% relataram se ater às dicas de amigos e familiares.

A pesquisa, intitulada de “Music 360 2020”, foi realizada entre 8 de Junho e 6 de Julho, em meio à crise do coronavírus, então 65% dos participantes disseram evitar espaços públicos com multidões e 45% tinham escutado mais músicas do que nas duas semanas anteriores. Ou seja: a pandemia pode ter privado as pessoas de companhia, mas isso as incentivou a explorar os catálogos dos streamings.

Outra pesquisa consultada pela Billboard foi a “Infinite Dial 2020”, publicada pela Edison Research e Triton Digital, que aponta que a maior parte do público recorre ao YouTube e ao Spotify para descobrir novas músicas.

Neste estudo, o YouTube saiu na frente e para 26% dos entrevistados, é a principal fonte de descobertas, o local que recorrem para se manterem atualizados dos lançamentos. Já o Spotify é a preferência de 19% das pessoas para esta finalidade. As estações de rádio foram mencionadas por 11% dos participantes e apenas 10% consultam conhecidos para conhecer novos materiais.

A pesquisa da Nielsen Music mostrou também que a pandemia aumentou o número de assinaturas nas plataformas de streaming. Nas duas semanas que antecederam o dia 8 de Junho, 45% das pessoas consultadas tinham adquirido o serviço, contra 38% na semana do dia 23 de Março.

Sem mais artigos