David Bowie não nasceu na Argentina e também não vive em Bilbao, mas teve seu famoso personagem Ziggy Stardust – caracterizado por um irreverente macacão – resgatado por um habilidoso trio, que possui essas referências e atende pelo nome de Capsula.

Alguns dizem ter visto Ziggy em Nova York, com um gorro, uma jaqueta cinza e com pinta de recém-aposentado espanhol. No entanto, não se enganem, o grande “Duque Magro e Branco” não envelhece e, após uma longa ausência, volta do espaço para tirar os terráqueos do tédio, da crise e de outros males deste século XXI.

A primeira reaparição real de Ziggy Stardust no planeta Terra está prevista para o próximo dia 5 de dezembro. Nessa data, o grupo de garage rock Capsula – sem acento – lança no mercado The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars, uma versão própria do clássico e inesquecível disco de David Bowie, lançado há exatos 40 anos.

Esta homenagem do trio argentino estabelecido em Viscaya (província da Espanha no norte da comunidade autônoma do País Basco) surge através de uma sincera admiração pelo cantor britânico.

“Tudo começou com a proposta de fazermos algumas versões de Bowie. Todos nós gostamos da ideia e decidimos fazer o disco completo. Após os ensaios nós ficamos encantados. Colocar-se na obra de um artista é uma experiência multifacetada”, comentou o trio.

Segundo os integrantes do Capsula – Martin Guevara (guitarra, voz), Coni Duches (baixo, voz) e Ignacio Villarejo (bateria) -, a gravação é uma própria versão do disco, uma tendência muito similar a que foi usada pelo Flaming Lips com o Dark Side of the Moon, de Pink Floyd, e do Chuck Prophet com London Calling, do The Clash.

Para dar respaldo ao trio argentino, essa aventura “Ziggy Stardustiana” contará com a produção de John Agnello (Sonic Youth e Dinosaur Jr.) e colaborações especiais de Matt Verta-Ray, do Heavy Trash; Ivan Julian e Chris Cain, da banda californiana We Are Scientists, e de Marta e Fernando, do Sex Museum, entre outros.

À margem deste lançamento – através do selo Gaztelupeko Hotsak, na Espanha -, esse é um bom momento para repassar a longa carreira deste trio antes que seus integrantes apareçam apresentando a sala de sua casa em algum programa de TV sobre imigrantes na Espanha.

“Como pessoas, somos argentinos que vivemos em Bilbao. Tomamos mate e gostamos da chuva. Há algo do ser melancólico do argentino nos cidadãos bascos”, declara Coni Duchess, baixista e autora de grande parte das letras da banda.

O início da trajetória do Capsula se remete ao final dos anos 1990 na Argentina. Essa era a época do lançamento dos álbuns Sublime (1999), Yudoka (2000) e, já na Espanha, Capsula (2002) – todos reeditados neste ano em vinil.

“Passamos muitos períodos desde então, mas sempre no mesmo caminho. Escrevendo canções e encontrando diferentes sons”, apontou o trio. Assim surgiu em 2011 In The Land Of Silver Souls, disco do ano para a revista Rota 66 e porta de entrada a todos os tipos de festivais tanto na Europa como na América.

Famosos por seus contundentes e desconcertantes shows ao vivo, o cantor e guitarrista Martín Guevara defende o espírito rock do trio de uma forma muito particular: “Temos um ritmo constante de viagem. Acabamos de chegar da França e dos Estados Unidos. Somos um grupo de rock and roll e nossos pais são Iggy Pop e Velvet Underground. E o punk e os sons obscuros? Nosso público sabe de onde vem”.

Por enquanto, essa revisão de Ziggy Stardust via Capsula já possui algumas datas confirmadas em Bilbao (Espanha) e Biarritz (França). Na capital basca também será apresentado um documentário sobre a gravação do álbum, que conta com direção de Mariano Vricella.

Sem tempo para descanso, o Capsula se lança novamente às ruas junto com as aranhas de Marte. “Somos imigrantes, os músicos têm tudo em comum com os imigrantes. Andam de um lado para outro e tem uma vida sobre a estrada”, afirmou Coni enquanto preparava as malas e a capa do baixo para embarcar em uma caminhonete.

“Assim devemos ser. Esse álbum, no fim das contas, narra a história de um extraterrestre andrógino que chegou à Terra para nos salvar da destruição e acabou sendo pego pelo rock and roll. São coisas que ocorrem com os marcianos que habitam a cidade de Suffragette do planeta Bowie. Gente como Capsula, alienígenas como nós”, completou. 

Sem mais artigos