Anitta vai conquistar o mundo, bicho

Divulgação Anitta vai conquistar o mundo, bicho

Anitta está muito perto de se tornar a primeira brasileira a ganhar um lugar no restrito clã da música pop internacional. Nesta quarta-feira (31), a cantora lança o single Paradinha, em espanhol, visando alcançar o estrelato que mostrou ter capacidade de conquistar na breve participação no single Switch, de Iggy Azalea, apresentado pela dupla no Tonight Show, talk show americano comandado por Jimmy Fallon, o segundo mais popular no país.

Nesse processo de ascensão em apenas sete anos de carreira sólida, Anitta conquistou muito, menos o respeito de parte do público de seu próprio país. As raízes no marginalizado funk fizeram com que a artista tivesse sua sensualidade relacionada a um aspecto vulgar que sua obra nunca carregou.

Esse preconceito musical é uma das razões que mantém Anitta, por exemplo, longe de festivais gigantes como o também brasileiro Rock in Rio. Segundo divulgou a imprensa carioca no começo do ano, Anitta não foi relacionada para o festival por conta de sua origem funkeira, que não se encaixaria no perfil do evento musical que abriga artistas de axé, rap, samba, pop, rock e diz abrigar “todas as tribos”.

Por isso, para esquentar essa expectativa pelo lançamento de Paradinha, listamos 10 motivos para respeitar Anitta como a grande artista que ela é.

1. Ela estudou (e muito) pra virar cantora 

Anitta estuda música desde pequena

Divulgação Anitta estuda música desde pequena

Anitta, nascida Larissa de Macedo Machado, tem origem humilde e difícil como a maioria dos brasileiros. Filha de uma artesã, Miriam Macedo, e de um vendedor, Mauro Machado, começou a estudar música aos 8 anos de idade no coral da Igreja Santa Luzia, no bairro de Honório Gurgel, Rio de Janeiro. Com 11 anos já estava estudando inglês e a fazer aulas de dança de salão.

Com 16 anos, finalizou um curso técnico de administração e chegou até a fazer estágio na Vale do Rio Doce, de onde saiu para virar Anitta e mergulhar na carreira musical.

2. O Show das Poderosinhas 

O Show das Poderosinhas é mó legal

Divulgação O Show das Poderosinhas é mó legal

“Nossa, mas essa Anitta não é coisa pra criança ouvir”. Ao contrário do senso comum, a cantora é a única do mainstream brasileiro atual a realizar uma turnê paralela voltada única e exclusivamente para o público infantil. O Show das Poderosinhas conta com figurino, cenário e repertórios pensados e feitos especialmente para as crianças. No setlist, Anitta inclui seus hits mais famosos, como Bang e o próprio Show das Poderosas, e covers de artistas teen, como Katy Perry e Taylor Swift.

3. Primeira artista brasileira a se apresentar no Tonight Show 

Mostrando seu talento para o mundo

Reprodução Mostrando seu talento para o mundo

Anitta foi a primeira artista brasileira a se apresentar no Tonight Show, da NBC, que está no ar desde 1954 e hoje é apresentado por Jimmy Fallon. Ao lado de Iggy Azalea, a cantora cantou o single Switch, parte do novo álbum da australiana.

4. Primeira artista brasileira a liderar o ranking do Spotify Brasil 

Sucesso total

Divulgação Sucesso total

Anitta também foi a primeira cantora nacional a liderar o ranking de mais ouvidas do Spotify Brasil. O feito foi conquistado com o hit Deixa Ele Sofrer, ainda na época de divulgação de Bang, seu disco de maior sucesso lançado em 2015.

5. Mesmo assim, não largou o Brasil 

Brazuca pra sempre

Divulgação Brazuca pra sempre

Muita gente diz por aí que Anitta é meio metida e está deslumbrada com o sucesso, mas a verdade é que a cantora se apresenta no Jimmy Fallon da mesma forma que canta em cidades brasileiras menores, como Maringá, Palmeira e Santa Terezina de Itaiu, no Paraná, e São José do Rio Preto, interior de São Paulo, como bem mostrava sua agenda oficial nesta terça-feira (30).

6. As letras de Anitta só promovem coisas positivas

Muitos também se referem ao estilo de Anitta como uma má influência para a geração atual, mas a verdade é que, em toda sua carreira, a cantora não promoveu nada além de amor, diversão e até empoderamento feminino em suas letras. Anitta não fala de violência, por exemplo, como diversas canções amplamente respeitadas em outros estilos, como rock, sertanejo e até MPB.

7. Ela deu um show ao lado de Caetano Veloso e Gilberto Gil na abertura dos Jogos Olímpicos em 2016 

Ela arrasou, vai

Reprodução Se Caetano e Gil aprovam, eu aprovo

Anitta mostrou todo o seu talento enquanto artista ao cantar Sandália de Prata, eternizada na voz de João Gilberto, ao lado de Caetano e Gil na abertura dos Jogos Olímpicos de 2016. Foi playback? Não vamos mentir, foi. Mas isso não tira o mérito dela, uma vez que era sua voz que estava ali, além do fato de que o uso do recurso ser algo comum em apresentações pontuais de eventos esportivos.

8. E conquistou o coração de Giovanni Bianco

O produtor e designer ítalo-brasileiro assina a direção criativa dos clipes de Bang e Essa Mina é Louca, além de ter criado a arte da capa de seu último disco. Giovanni é o mesmo que costuma trabalhar como designer dos lançamentos de ninguém menos que Madonna, a rainha do pop.

9. Anitta nunca largou suas raízes no funk e mostrou que o ritmo deve ser respeitado

O funk é, provavelmente, o principal alvo do preconceito musical no Brasil. Tanto que há um projeto de lei que busca criminalizar o estilo musical tramitando no Senado. O texto foi assinado pelo empresário paulista Marcelo Alonso, que diz que “é fato e de conhecimento dos brasileiros difundido inclusive por diversos veículos de comunicação de mídia e internet com conteúdos podre (sic) alertando a população o poder público do crime contra a criança, o menor adolescentes (sic) e a família. Crime de saúde pública desta ‘falsa cultura’ denominada ‘funk'”. Ele conseguiu 20 mil assinaturas na internet através do Portal E-Cidadania.

O sucesso de Anitta, mesmo com a má vontade de alguns setores da sociedade, mostra que o funk, assim como qualquer estilo musical, possui bons e maus exemplos, letras de bom e mau gosto e jamais deve ser tratado como criminoso. O problema é que, assim como a cantora, o ritmo tem origem nos morros cariocas, o que naturalmente já provoca aversão do público que não pertence a esses setores sociais.

10. E, bicho, ela nunca fez mal a ninguém 

A menina é mó da paz

Divulgação A menina é mó da paz

Humoristas sem nenhuma graça, roqueiros decadentes, “influenciadores” sem espaço e tantos outras são as personalidade que conquistaram o respeito de boa parte do público brasileiro falando mal de outras pessoas e movimentações sociais. Esses famosos se promovem dessa forma e ganham cada vez mais mídia (e dinheiro) com essa prática.

Anitta, pelo contrário, nunca foi conhecida por nada além de sua música. A cantora preserva sua vida pessoal, tem total dedicação ao trabalho e raramente se enfia em polêmicas, focando completamente em sua música. E é apenas isso que ela busca, divertir quem se identifica com seu som e conquistar o espaço que acredita ter possibilidade de conquistar.

Qual o problema nisso?

Assim como qualquer pessoa, Anitta está em busca de ter sucesso na profissão que resolveu praticar. Ela jamais teve a intenção de representar qualquer pessoa além dela mesma e, uma vez que ela não fez nada de errado, não há qualquer motivo que justifique uma torcida contra suas próprias conquistas.

Sem mais artigos