Erasmo Carlos completa 73 anos nesta quinta-feira (05) e nós, do Virgula Música, não poderíamos deixar essa data passar batida.

O Tremendão, principal parceiro de Roberto Carlos, e dono de tantos hits, recentemente deu uma lição de força, mantendo a turrnê depois de perder o filho.

Relembramos algumas lições aprendidas com a música do Gigante Gentil, nome de seu álbum recém-lançado.

1. Dê sempre bom dia para o rock and roll. Na foto abaixo, o Tremendão com o mítico Sergei. A primeira lição desta cartilha tremendona foi retirada de Sonhos e Memórias, álbum de 72 cheio de nuances e matizes, com uma densidade que o faz um dos maiores registros da história da música brasileira. Certo, bicho?

2. Valorize a amizade. Esta é uma das temáticas mais presentes nas músicas do Tremendão. A relação entre ele e de Roberto Carlos serve de espelho para qualquern um de nós e nossos parças.

É Preciso Dar um Jeito meu Amigo, é do álbum Carlos, Erasmo, de 71, outro disco clássico, em que ele explorou gêneros como black, funk, soul music e o rock para atingir uma sonoridade única.

3. Ladies first. Erasmo canta a mulher como ninguém. A ponto de Mesmo que Seja Eu tenha se tornado, sem ele nem imaginar, uma espécie de hino para as lésbicas.

4. E Não venha com essa papo de sexo frágil. Em Mulher (Sexo Frágil), ele imortalizou os versos. “Mulher! Mulher!/ Na escola em que você foi ensinada/ Jamais tirei um 10/ Sou forte, mas não chego aos seus pés”.

5. Relaxe e aproveite a vida. Em Além Do Horizonte, Erasmo mostra, em seu lado autoajuda, que às vezes é preciso viver mais leve: “Aproveitar a tarde sem pensar na vida/ Andar despreocupado sem saber a hora de voltar/ Bronzear o corpo todo sem censura/ Gozar a liberdade de uma vida sem frescura”.

6. Mantenha os pés no chão. Em Os Meus Amigos São Um Barato, disco Nara Leão, lançado em 1977,  Erasmo emplacou uma das músicas mais profundas e bonitas da MPB, Meu Ego, parceria de Erasmo com o o parça Roberto Carlos.

7. É tudo bem ficar triste. Lição de Sentado À Beira Do Caminho: “Vem a chuva molha o meu rosto e então eu choro tanto/ Minhas lágrimas e os pingos dessa chuva se confundem com meu pranto/ Olho pra mim mesmo, me procuro e não encontro nada/ Sou um pobre resto de esperança na beira de uma estrada”.

8. Hey, hey, que onda. Se jogue numa balada forte de vez em quando. A vida cantada pelo Tremendão não é só tristreza e Festa de Arromba é emblemática: “Vejam só que Festa de Arromba! (Bapára!)/ No outro dia, eu fui parar… (Bapára!)/ Presentes no local, o rádio e a televisão; (Bapára!)/ Cinema, mil jornais, muita gente, confusão…”.


9. Conte seus plaquês com classe.
Em O Tremendão, ele já mostrava que o rock já preconizava o discurso de Guimê e sua turma: “Ponho o meu chapéu/ E saio por aí/ Entro no meu carro/ Que é para me exibir…”.


10. Siga em frente.
Mesmo com a perda do filho Alexandre, o Tremendão voltou para a estrada e segue a rotina de shows, entrevistas. Assim, ele mostra que o show deve continuar.


Erasmo chega aos 73 encarando turnês, fazendo discos: guerreiro incansável  

 Tremendão eterno <3

Sem mais artigos