Com seu novo CD acústico Tá Tudo OK chegando às lojas, a dupla Zé Henrique & Gabriel segue crescendo no mercado da música sertaneja, mesmo depois de 14 anos de carreira.

Com 4 CDs e 2 DVDs nas costas, o novo disco promete repetir sucessos anteriores. Tá Tudo OK já tem esgotada sua primeira tiragem e traduz a nova fase dos artistas.

“Sucessos como Solidão Dando Risada e O Que Combina Comigo É Você ganharam releituras mais agitadas. Ao total fizemos sete regravações e escolhemos sete novas músicas”, explica Gabriel. “Hoje, ao realizar este tão sonhado trabalho, consigo me lembrar da época em que entrei no mercado musical com as minhas composições e em tudo o que passamos para chegar até aqui hoje. Os tempos são outros, mas as dificuldades são as mesmas”, contou Zé Henrique.

A força que o Daniel deu

Zé Henrique lembra da força dada pelo amigo e também cantor Daniel. “Com ele toquei viola caipira em algumas apresentações e começamos então a ficar conhecidos no mundo da música sertaneja. Foi por causa do Daniel que pisamos na arena de Barretos pela primeira vez em 2001. Eu já tinha uma parceria antiga compondo para ele. O sucesso Quando o Coração da Gente Se Apaixona, por exemplo, foi um dos trabalhos que fiz para o Daniel”, revelou Zé Henrique.

O lado autoral sempre abriu portas para a dupla Zé Henrique & Gabriel. Os primeiros a gravarem uma letra de Zé Henrique foram Gian & Giovani, de lá pra cá nomes como Zezé di Camargo & Luciano, Daniel, Rick & Renner e Bruno & Marrone estão entre os que emprestaram suas vozes às românticas composições do cantor. “Já cheguei a compor 50 músicas por mês, hoje faço 2 ou 3 no máximo, me dedico mais a dupla. Meu último trabalho como compositor para outras duplas foi no novo CD de Jorge & Mateus, a canção se chama Tudo ou Nada“, disse Zé Henrique.

Ajuda dos universitários

“Quando começamos não existia o universitário, hoje esse título é usado para lotar casas de shows, baladas e até mesmo para a venda de novos trabalhos. Nós também nos enquadramos nessa nova pegada da música brasileira e estamos nos dando muito bem, o reconhecimento do público é o maior termômetro”, confessou Gabriel.

“Dentro dessa nova fase que vivemos, acho muito legal o sucesso desses novos talentos do sertanejo, o Luan Santana, por exemplo, é um fenômeno que nos orgulha muito, o garoto é novo, tem qualidade musical e vocal e, além disso, é bom de verdade. O Luan não se deixa deslumbrar com o sucesso imenso que faz e trata todos com muito respeito e humildade, ele vai longe”, disse Zé Henrique.

Misturando

A mistura de outros ritmos com o sertanejo universitário agrada bastante a dupla: “O Alexandre Pires fez uma participação especial no nosso CD com a música Oba, Oba. A junção do pagode com o sertanejo casou muito bem, ainda mais com o Alexandre que é talentoso tanto na música romântica quanto nas mais dançantes. Essa música que ele gravou é pra cima e dançante, e por ser um batidão, gravamos a nossa parte e quando ele entra a gente bota um cavaquinho conduzindo a música e também um surdo para ficar mais na praia dele.” afirma Gabriel.

Sem mais artigos