O ditado popular não mente: se conselho fosse bom, ninguém dava de graça. Quando o assunto é casamento, então, sempre surge algum “terapeuta da onça” para reforçar aquelas dicas e lições amorosas completamente sem pé nem cabeça, que só atrapalham e bagunçam os sentimentos. Sim, você tem ouvido muita abobrinha sobre casamento e vida a dois, não se engane. Lembra quando te disseram que um filho seria capaz de resolver a crise no relacionamento? Esqueça esse absurdo, por favor.

Terapeutas e especialistas em relacionamentos prepararam uma listinha especial para o HuffPost Wellness com alguns dos piores conselhos que familiares e amigos têm perpetuado por aí. Qual desses você já ouviu e seguiu à risca, hein? Conta para a gente nas redes sociais!

Casamento é 50% de esforço de cada

Porcentagens e estatísticas tão frias não fazem o menor sentido no universo dos relacionamentos. Nenhum casamento é perfeitamente equilibrado, com entrega total de ambas as partes. Às vezes, você vai precisar carregar um pouco mais o seu parceiro; em outras, porém, será carregada, também. O que importa é a reciprocidade, não a “conta” de quem está fazendo mais ou menos na relação.

Vocês só precisam se amar, mais nada

Bonito, porém utópico. É claro que a gente precisa de amor, mas ele não é tudo num relacionamento. Para fazer as coisas funcionarem, nós precisamos ir além. É fundamental que um casal tenha respeito, compatibilidade, boa comunicação, humildade, segurança, química, compreensão, bom humor… Não dá para deixar tudo nas costas do coitado do amor. Ele simplesmente não aguenta, sério.

As coisas vão melhorar quando vocês tiverem um bebê

Se as coisas estão ruins, não se iluda: adicionar um bebê à equação só vai trazer mais estresse, dor de cabeça e pressão para a vida a dois. Ter um filho é coisa séria e requer disposição e comprometimento de ambas as partes. Do contrário, resta amargura, discordância e desgaste, já que um dos lados sempre vai se envolver mais com os cuidados do bebê. Mais fácil resolver a questão sem um filho no meio, né? Até porque não dá para voltar atrás, depois.

Nunca vá para a cama sem fazer as pazes

Esse é um dos conselhos mais comuns e absurdos do mundo. Tudo bem, ninguém gosta de ir para a cama sem uma bandeira branca e um beijo carinhoso de boa noite, mas nunca é bom forçar a barra. Todos têm problemas, fato; nem sempre dá para resolver a questão com uma rápida conversa antes de deitar, porém. Pode levar um dia, uma semana, um mês ou até mais, infelizmente. O melhor a fazer é tentar descansar e deixar a DR para o dia seguinte, sem ânimos exaltados.

Opostos se atraem e têm um relacionamento melhor

As diferenças de um casal podem ser estimulantes no começo do relacionamento, é claro. Mesmo assim, nada se sustenta quando não há o mínimo de concordância, vamos combinar. Em longo prazo, as diferenças se transformam em conflito e desgaste – principalmente se um dos lados resistir a qualquer mudança. Tem que rolar um esforço, sim, para compreender a personalidade do outro e criar vínculos e gostos em comum, por exemplo. Vale a pena para você?

O sexo acaba depois do casamento

Será que é por isso que tanta gente tem medo de juntar as escovas? O casamento não acaba com a vida íntima do casal, muito pelo contrário. Aqueles que estão há muito tempo num relacionamento costumam fazer mais sexo que os solteiros, por mais incrível que pareça. Além disso, casais saudáveis encaram os dias sem sexo como algo normal, e não um sinal de que existe algo de errado no casamento. Larga as neuras!

Sua cara metade tem de suprir todas as suas necessidades

Errado, apenas. Ninguém gosta de ter esse peso nos ombros, como se fosse responsável – totalmente – pela felicidade e plenitude do outro. Cada um deve saber de si, das próprias necessidades, e descobrir um meio de compartilhar os anseios com o parceiro de um jeito maduro e respeitoso, sem cair na armadilha da cobrança insensata.

Amor não é escolha, é sentimento

Sim, é um sentimento maravilhoso, sem dúvida. Mesmo assim, nós temos o poder de escolha. Escolhemos como demonstrar esse amor e como recebê-lo, também. Por isso, o sentimento é resultado de nossas ações – sempre guiadas pelas escolhas, claro. Para sentir amor, precisamos escolher por esse sentimento, não ficar apenas à espera de algo extraordinário.

E se não der certo, você pode escolher outra coisa também, sem crise! :)

Sem mais artigos