O amor tem um dicionário próprio de clichês, meias verdades e mal-entendidos. No meio dessa confusão, porém, só não existe aquela conversa de que todo bom amor precisa doer. Não, não precisa. Quando o relacionamento dói, coloca para baixo, deprime e se torna algo que beira o insuportável, é hora de acender o alerta vermelho e procurar o que está errado – bem errado, para falar a verdade.

Esse contexto pode abrir as portas para a depressão, principalmente quando há o desequilíbrio de poder entre os parceiros. Relacionamento bom é aquele em que todo mundo tem a vez – e o direito – de falar e expor vontades, temores e ideias.

Você passa a viver sob uma nuvem negra, sempre infeliz, de mau-humor, nervoso e à beira do choro, sem qualquer interesse por atividades que antes traziam algum tipo de prazer e alegria. Fechar os olhos e ignorar essa crise é adiar uma dor que, com o tempo, tende a piorar. A especialista Susan Heitler, psicóloga e terapeuta de casais, separou alguns dos sintomas mais comuns que alertam para um possível começo de depressão no relacionamento – e a alternativa “saudável” para cada um dos problemas e desequilíbrios.

Diálogo, mais uma vez, é a chave para fazer tudo dar certo. Antes, porém, é preciso investigar o que está fora de lugar. Veja e entenda mais na galeria abaixo:

Sem mais artigos