Não tem jeito, os cachorros são os xodós dos lares brasileiros. A última pesquisa do IBGE apontou que a população de cães em domicílios brasileiros é de 52,2 milhões, o que daria uma média de 1,8 cachorro por casa, acredita?

Cada vez mais os pets são parte da família e, além da companhia no sofá, acabam compartilhando a casa toda com seus tutores. Tratados como filhos, fica difícil resistir a carinha de pidão deles na hora das refeições, e nós, donos dessas criaturas adoráveis, acabamos oferecendo para eles alimentos do nosso prato que, por mais que pareçam inofensivos, podem fazer um mal danado.

Nas festas de fim de ano, por exemplo, nas quais muitos bichinhos participam até do amigo-secreto, é preciso ficar atento à ceia dando sopa na mesa da sala, pois os catioros mais gulosos são verdadeiros assaltantes de guloseimas e podem passar mal com as comidas típicas da época, por isso, o cuidado no período de comemorações deve ser redobrado.

Nós conversamos sobre o assunto com a Dra. Sandra Nogueira, veterinária da Hill’s Pet Nutrition, para saber se é possível dar apenas um pedacinho dos pratos natalinos para os cães experimentarem com segurança, e já adiantamos: você vai ter que ser duro na queda!

Panetone

Nicola since 1972 on Visual hunt / CC BY

Panetone

“Os panetones possuem grandes quantidades de gorduras e carboidratos, além de conter uvas passas que são extremamente tóxicas para os cães, podendo levar a morte. E quanto ao chocotone, o chocolate tambem é tóxico para os animais devido a teobromina que está presente no cacau. Esses dois produtos não devem ser oferecidos para os pets pois podem provocar distúrbios gastrointestinais, cardiotóxicos, e até convulsão ou morte em casos mais graves”, afirma a Dra. Sandra.

Peru

Reprodução / Pinterest

Carnes da ceia

“Carnes como lombo, tender e peru de Natal possuem bastante gordura e devem ser evitadas, pois podem provocar fezes amolecidas, diarréias e vômitos posteriormente. Um ingrediente usado com frequência no preparo das carnes, principalmente nos churrascos, é o sal. O sal em grandes quantidades pode causar sede excessiva, micção frequente, temperatura corporal elevada, tremores, vômitos, diarréias e até convulsões nos cães”, explica a veterinária.

Frutas

Reprodução / Pinterest

Frutas

“Embora algumas frutas não façam mal aos pets, existem aquelas que podem ser muito prejudiciais. As sementes de pêssegos, ameixas e caquis podem causar obstrução intestinal caso sejam engolidas, além de provocarem uma série de inflamações estomacais. Já a uva é um alimento muito tóxico para os cães, podendo até levá-los a óbito devido a problemas renais”, alerta a entrevistada.

Castanhas

See-ming Lee (SML) on Visual hunt / CC BY

Castanhas

“A macadâmia é um tipo de noz que agrada o paladar de muitas pessoas, mas apresenta um sério risco aos animais, podendo provocar intoxicação alimentar severa que se inicia com fraqueza e tremores musculares, podendo evoluir para febre e vômitos. Evite oferecer ao seu pet não apenas nozes de macadâmia, mas também outras oleaginosas como avelã e castanha-do-pará”, finaliza a Dra. Sandra Nogueira.

Sem mais artigos