Rótulo do adoçante à base de estévia deve conter apenas Glicosídeos de Esteviol

Reprodução Rótulo do adoçante à base de estévia deve conter apenas Glicosídeos de Esteviol

Em pó ou em gotas, os adoçantes são usados como substitutos do açúcar para adoçar cafés, sucos e uma centena de alimentos por pessoas que buscam um estilo de vida mais equilibrado.

Muitos consumidores acreditam que, cortando o pó branco favorito das formigas, estão fazendo uma boa escolha e evitando o acúmulo de alguns quilinhos, no entanto, o consumo desses edulcorantes com alto poder de conferir sabor doce à bebidas e comidas é bastante questionado por estudos médicos importantes.

Para a nutricionista esportiva e funcional, Marina Gorga, produtos à base de aspartame, sucralose, sacarina e ciclamato são cartas fora do baralho por serem extremamente químicos e artificiais. De acordo com a profissional ouvida pelo Virgula, novas pesquisas surgem a cada dia associando o uso dessas substâncias a doenças degenerativas, disfunções na tireóide e até mesmo ao surgimento de alguns tipos de câncer.

E o que resta para quem ainda não se acostumou com o amargor do café? Com a ajuda da nutricionista Marina Gorga, listamos sete opções mais saudáveis e naturais que funcionam muito bem como substitutos do açúcar. Confira!

 

Um guia de alternativas mais saudáveis ao açúcar

A estévia é um adoçante natural vindo de uma planta com mesmo nome. O produto é feito a partir do glicosídeo de esteviol, que não tem calorias e confere sabor doce até 300 vezes mais do que o açúcar comum. O adoçante é considerado uma alternativa mais saudável porque é natural, fitoterápico e não eleva a glicemia. Pode ser usado com segurança por quem quer emagrecer e por diabéticos. *Atenção ao rótulo! O produto deve conter apenas Glicosídeos de Esteviol.
O xilitol é uma substância classificada como um álcool de açúcar, derivada da xilose, um monossacarídeo que pode ser naturalmente encontrado em muitas das frutas e legumes que consumimos diariamente. Para fins comerciais, o xilitol costuma ser extraído do milho. O produto final é cerca de 5% menos doce que o açúcar, mas contém 60% menos calorias que o outro derivado da cana de açúcar (o xilitol também pode ser obtido a partir da cana). É uma opção mais saudável porque tem baixo valor calórico, baixo impacto na glicemia e ajuda a prevenir cáries.  Pode ser consumido por diabéticos.
O Eritritol é um adoçante sem calorias que, assim como o xilitol, também um poliol (álcool de açúcar). É um pó cristalino branco com um gosto doce sem sabor residual, semelhante à sacarose.  O Eritritol tem baixo valor calórico, baixo impacto glicêmico e também ajuda a prevenir cáries. Pode ser consumido por diabéticos.
O maltitol é um membro da família de adoçantes conhecido como polióis ou álcoois de açúcar. Tem sabor doce e agradável – notavelmente semelhante à sacarose. O maltitol é quase tão doce como o açúcar, não-cariogênico e com calorias significativamente reduzidas. O produto é produzido pela hidrogenação da maltose, obtida a partir do amido.  Esse adoçante de baixo valor calórico, com apenas 2,1 calorias por grama, é benéfico para os diabéticos porque quase não eleva os níveis de glicose no sangue. Também não contribui com a formação de cárie dentária.
O açúcar de coco é obtido através da seiva encontrada dentro do coqueiro.  É produzido de maneira rústica, sem adição de químicos, e é uma alternativa mais natural e saudável ao refinado. O processo de extração é feito a partir das flores da palma de coco, cujo néctar é retirado e aquecido em uma caldeira, transformando-se em um caramelo espesso. Depois disso, o produto é triturado em pequenos cristais, resultando em um açúcar mais grosso e com aspecto amarronzado. O açúcar de coco apresenta menor índice glicêmico do que o convencional, mas não é recomendado para pessoas que buscam emagrecimento e nem para diabéticos.
O agave é um antigo conhecido da população mexicana. O néctar é extraído da mesma espécie de cacto utilizada para fazer a tequila, e é muito utilizado na culinária. O seu xarope é composto por carboidratos (mais precisamente a frutose) e tem sabor bastante semelhante ao mel. Existem dois tipos de coloração de agave: escuro e claro.  O consumo deve ser evitado por diabéticos e por consumidores que buscam emagrecimento. Assim como o mel, também eleva a glicose no sangue. *O consumo de agave em excesso pode ser perigoso por causa da alta concentração de frutose, que eleva os níveis de triglicérides, favorecendo o acúmulo de gorduras no fígado e o diabetes.
O mel é um produto natural obtido a partir do néctar das flores e das excreções das abelha. Além de ser um ótimo adoçante natural, este alimento é cheio de benefícios porque conta com ação antimicrobiana e ajuda a proteger o corpo contra doenças. Esse substituto mais famoso ao açúcar é 100% extraído da natureza, sem processo industrial e químico. Apresenta propriedades energéticas, nutritivas, mas  deve ser usado com moderação por pessoas que querem emagrecer. Não pode ser consumido por diabéticos, pois eleva a glicemia no sangue. *O consumo de mel em excesso pode ser perigoso por causa da alta concentração de frutose, que eleva os níveis de triglicérides, favorecendo o acúmulo de gorduras no fígado e o diabetes.

Já ouviu falar do xilitol? Conheça sete substitutos naturais do açúcar

Sem mais artigos