Toda garota sabe o prazer que é ter no armário aquela peça que dez entre dez amigas suas estão cobiçando. Por isso, concordamos que acompanhar tendências de moda é bem divertido – desde que você não vire escrava delas – mas nós do Viva Clean achamos muito mais legal quem consegue inventar seu próprio jeito de se vestir.

Se aliada à vontade de criar sua própria moda vier também a preocupação com o consumo sustentável, aí então é que a gente assina embaixo!  Por isso, demos uma espiadinha no mundo dos brechós e das lojas que incentivam a troca de peças no lugar da compra. Quer coisa mais cool do que se vestir bem sem gastar dinheiro?

“A primeira vez que senti vontade de me vestir de um jeito diferente foi aos 16 anos. Comecei a freqüentar brechós mais por curiosidade e logo me apaixonei”, conta Yumi Maeda Miyake, 20 anos, estudante de jornalismo do Mackenzie. O que mais atrai Yumi é a exclusividade. “Tem muita gente que frequenta brechós por uma questão de modinha, já que fora do Brasil são muito comuns – então acham que é chique – mas os freqüentadores assíduos vão pela exclusividade, porque querem coisas diferentes”.

Para se dar bem num brechó é preciso ter muita paciência e olhar treinado para achar as peças que valem à pena. “Uma vez comprei um vestido preto com um laço amarelo da Doc Dog, que é meu xodó. E também um bolerinho da Loundry, que eu paguei apenas R$ 15.

Agora, se você é daquelas que espirra só de pensar no cheiro de roupa guardada, a loja Super Cool Market, em São Paulo, é uma ótima pedida. Grande, arejada e com bastante variedade de peças, segue um conceito europeu, na qual a cliente decide se prefere simplesmente comprar ou vender as peças ou então trocá-las por outras de seu interesse.  “Nossa ideia era trazer uma nova forma de consumir (nova no Brasil) e como a sustentabilidade é uma tendência que veio para ficar era importante ter um pilar com essa preocupação no nosso conceito”, afirma a publicitária Daniela Klaiman uma das sócias da loja, ao lado da apresentadora de TV Carla Lamarca e da também publicitária Samantha Barbieri.

Com um público variado, a loja consegue reunir no mesmo espaço peças de gostos e estilos diferentes. Impossível sair de lá sem encontrar algo que você goste. “Nosso público é bem diversificado. Desde a perua que vem carregada de peles no meio de peças bacanas que trouxe de fora até o pessoal moderninho que vem procurar uma jaqueta de couro bacana”, brinca Daniela.

Que tal então reunir as amigas, fazer uma limpeza no armário e levar tudo aquilo que você não usa mais para ser trocado por peças que você ainda não tinha? Uma maneira clean e diferente de se manter na moda, inventando seu próprio estilo.

E.. aproveitando que você e suas amigas estarão reunidas, experimente o teste de pele que a gente preparou pra você. Não sabe se a sua pele é seca, mista ou oleosa? Clique aqui que a gente responde!

 

Sem mais artigos