Regina (Camila Pitanga), Beatriz (Gloria Pires) e Inês (Adriana Esteves), mulheres fortes de Babilônia

Babilônia, nova novela das 21h da Globo, começou com diálogos ágeis, tiroteio, discussão e gritaria. O ano é 2005. Inês (Adriana Esteves) ouve da janela do seu apartamento tiros vindo da favela Babilônia, que fica atrás do seu prédio, na zona sul do Rio de Janeiro.

Discute com o marido, Homero (Tuca Andrada), sobre a falta de dinheiro para comprar outro apartamento. Ele levanta a possibilidade de ela voltar a trabalhar. “Você sabe o que é ser advogada num país que não tem justiça?”, esbraveja ela.

Bem-vindo, você está numa novela de Gilberto Braga. Ele voltou e trouxe frases e bordões maravilhosos, colocando o Twitter em chamas. Memes com”Não estou disposta”, fala de Beatriz (Glória Pires) quando encontra Inês, amiga de adolescência, numa festa ? Já tem.

A mocinha enganada pelo canalha, a invejosa obcecada com a bem sucedida, a manicure fofoqueira… elas estão lá. Não é difícil reconhecer em Babilônia situações e personagens que já apareceram em outras obras do autor de clássicos das telenovelas como Vale Tudo, Pátria Minha, Dancin’ Days.

Encontramos ao menos dez. Lembra delas?

Sem mais artigos