John Ridley, que recebeu um Oscar pela adaptação do roteiro de 12 Anos de Escravidão, a partir do livro de Solomon Northup, negou os boatos de que teria brigado com o diretor do filme, Steve McQueen. Em entrevista à revista Entertainment Weekly, ele disse se arrepender de não ter mencionado o nome do cineasta em seus agradecimentos, ao receber a estatueta.

“Eu me arrependo. Mas 24 horas antes, no Spirit Awards, eu, sinceramente, falei bastante sobre Steve e sobre ter trabalhado com ele. Esse cara mudou a minha vida. No Oscar, você tem 30 segundos para falar, e é como se o oxigênio acabasse na sala”, explicou.

“Sei que abracei minha mulher duas vezes e sei que David O. Russell [diretor de Trapaça], mais uma pessoa com quem as pessoas dizem que eu tenho um desentendimento, foi o primeiro a me abraçar. Lembro que Meryl Streep tocou o meu braço”, afirmou.

Na última semana, o site The Wrap soltou uma nota afirmando que Ridley e McQueen teriam brigado em razão dos créditos do roteiro de 12 Anos de Escravidão. McQueen, de acordo com o site, pediu para ter seu nome creditado como corroteirista, mas teve o pedido negado pelo escritor.

 

Veja aqui pacotes da CI para você também curtir o Top of the Pops

 

Sem mais artigos