Nos livros da Saga Crepúsculo, Aro, um dos chefões da perigosa família de vampiros Volturi, é retratado como um sujeito realmente aterrorizante. Michael Sheen, que interpretou o personagem no cinema, porém, decidiu que seria bom adicionar um pouco de humor ao personagem. Em uma coletiva de imprensa em Los Angeles, o ator explicou por que.

“Uma das coisas que eu sempre gostei em relação a Aro, nos livros de Stephenie Meyer, é a ideia de que ele se vê como um velho tolo sentimental. Ele gosta de ver os jovens se divertirem e, então, gosta de matá-los. Por isso, me atraía a ideia de alguém que, em vez de ser só o cara do mal, tem um ‘que’ de engraçado. Ele viveu por centenas de anos. Imagino que o pior problem é o tédio”, disse o ator, de acordo com o site Collider.

Ao ser questionado sobre qual conselho daria a si mesmo, para viver Aro na Saga Crepúsculo, Sheen citou a experiência de atuar ao lado de atores mais jovens. “Eu, provavelmente, teria ido para a terapia, só para me preparar para estar ao lado dos jovens mais atrativos do mundo na atualidade. Não há nada como estar ao lado de Robert Pattinson, Kristen Stewart, Ashley Greene e Nikki Reed para fazer você se sentir um velho galês gordo”, brincou.

Amanhecer – Parte 2, o último filme da Saga Crepúsculo, tem estreia brasileira marcada para o próximo dia 15 de novembro. O longa acompanha os esforços de Bella (Kristen Stewart) e Edward (Robert Pattinson) para defender sua filha, Renesmee (Mackenzie Foy), da família Volturi.

Sem mais artigos