Um importante acervo de filmes em película corre o risco de desaparecer. São cerca de 500 filmes, armazenados em um galpão no Rio de Janeiro, sob condições precárias. O material pertence ao Grupo Estação (que possuía a distribuidora Filmes do Estação, extinta em 2009).

Segundo reportagem do jornal O Globo, os filmes estão arquivados sem proteção ou cuidados de conservação. Em pouco tempo, as películas podem se deteriorar – muitas já devem estar iniciando esse processo.

“Estamos procurando alguma instituição, de preferência carioca, que tenha condições de armazenar adequadamente todos esses filmes”, declarou ao jornal o presidente do Estação, Marcelo França Mendes.

O Grupo Estação acumula dívidas de R$31 milhões, mas os filmes não fazem parte dos ativos da empresa. Portanto, não existe o risco do material ser confiscado por credores.

Marcelo comentou que o Instituto Moreira Salles se interessou pelo acervo, mas não tem espaço para ele. “Consultei também a Secretaria Estadual de Cultura, a respeito do novo Museu da Imagem e do Som, mas eles não têm previsão de abrigar um arquivo desse tipo”, afirmou Marcelo ao jornal.

Entre as preciosidades presentes na coleção, está uma cópia em 16mm de O Bandido da Luz Vermelha (1968, de Rogério Sganzerla) e uma cópia de Roma Cidade Aberta (1945, de Roberto Rossellini).

Sem mais artigos