A 65ª edição do Festival de Cannes, em sua famosa seção de clássicos, apresentará filmes de Alfred Hitchcock, Roberto Rossellini e Roman Polanski que foram restaurados recentemente e que realizam suas respectivas pré-estreias neste encontro.

Treze longas-metragens, dois curtas-metragens, uma apresentação musical e quatro documentários integram a Cannes Classics deste ano, que também homenageará Claude Miller e John Brooman, assinalou nesta quinta-feira os organizadores do festival.

A americana Filme Foundation, presidida por Martin Scorsese, apresentará uma cópia restaurada e revisada de Era Uma Vez na América, de Sergio Leone, lançado originalmente em 1984.

“Além dos familiares de Leone, a exibição deste filme deverá ser acompanhada pelos atores Robert De Niro e Jennifer Connelly“, indica a nota, que acrescenta que Tess, de Roman Polanski, será outro destaque desta seção de clássicos.

O diretor franco-polonês, que comandou a restauração deste filme, reconhece ter ficado “pasmo” com o resultado e também confirmou sua presença no festival.

Celebrando seu centenário, a Universal Pictures presenteia o público com uma cópia restaurada de Tubarão, um dos longas mais emblemáticos desse estúdio e também de Steven Spielberg, enquanto o 50º aniversário do lançamento de Lawrence da Arábia, de David Leiam, será lembrado com uma restauração em formato 4K.

No marco da Rescue the Hitchcock 9, projeto lançado pelos arquivos nacionais do British Filme Institute para salvar nove filmes mudos desse reconhecido cineasta, a seção de clássico de Cannes exibirá a cópia de O Ring (1927), que, por sua vez, será acompanhada de um show do músico Stephen Horne.

Cannes ainda dará espaço aos diretores menos populares, como o japonês Keisuke Kinoshita – que terá o filme A Balada de Narayama apresentado em versão digital -, e também redescobrirá dois filmes “esplêndidos e necessários”: o indonésio After the curfew, de Usmar Ismail, e o indiano Kalpana, de Uday Shankar.

Assim como em 2011, o festival acolherá novamente o “ambicioso” The Rossellini Project, que após a apresentação de La Macchina Ammazzacattivi no último ano, exibirá nesta ocasião uma nova cópia de Viagem Pela Itália.

O festival, que apresentará inúmeros clássicos restaurados, celebrará também o 30º aniversário da parisiense La Cinémathèque de la Danse com “três joias” de sua coleção: A Great Day in Harlem, An All-Colored Vaudeville Show e Jammin The Blues.

Aproveitando sua presença neste encontro, que acontecerá entre os dias 16 e 27 de maio, Cannes pediu ao cineasta Andrei Konchalovsky apresentar sua nova cópia de Expresso Para o Inferno, enquanto os arquivos da cinemateca francesa oferecerão Cleo de 5 à 7, de Agnès Varda.

A homenagem ao diretor Claude Miller, que faleceu no ultimo dia 4 de abril, será acompanhada, entre outros, de alguns documentários, como: Claude M le Cinéma, de Emmanuel Barnault, Me And Me Dai, de Katrine BoormanMethod to the madness of Jerry Lewis, de Gregg Barson, e Woody Allen: A Documentary, de Robert B. Weide. As informações são de nota divulgada pelos organizadores do festival.

Sem mais artigos