Filme brasileiro não é só comédia da Globo Filmes com astros globais, viu povo? Pensando nisso, e tentando abrir espaço para produções praticamente inéditas (e que nunca estrearam em circuito de salas de cinema) o Circuito Cinema Inédito Brasileiro realiza sua terceira edição, a partir desta quinta (30).

O local escolhido é emblemático: o Cine Caixa Belas Artes, símbolo da resistência de cinema em SP e que foi reinaugurado há poucos meses, após três anos fechado.

Com curadoria de João Juarez Guimarães e produção de Diana Iliescu, o evento tem preços populares e reúne um total de 20 longas, entre documentários e ficções – todos inéditos no circuito comercial.

Destaques: O Uivo da Gaita, de Bruno Safadi, com Mariana Ximenez e Leandra Leal vivendo um caso de amor; As Horas Vulgares, de Rodrigo de Oliveira e Vitor Graize, com fotografia arrasadora em P&B; e o terror bizarro Mar Negro, de Rodrigo Aragão, entre outros.

Ainda vale conferir a dupla de documentários A Volta da Pauliceia Desvairada e São Paulo em Hi-Fi, ambos de Lufe Steffen – o primeiro focaliza a noite gay de SP atualmente; e o segundo retrata a mesma noite gay, mas nas décadas de 60, 70 e 80.

Além das sessões no Cine Belas Artes, o Circuito faz também projeções ao ar livre: A Volta da Pauliceia Desvairada passa na Praça da Sé, em frente à Caixa Cultural, em 07/11 às 19h; o mesmo filme passa no Buraco da Minhoca, na Praça Roosevelt, às 23h de 08/11.

Debates com alguns diretores dos filmes após as sessões também estão programados. A programação completa está no site do Circuito.

Sem mais artigos