Claudia Ohana é a convidada do programa A Máquina desta terça (14), na TV Gazeta às 23h35. O bate-papo é comandado pelo escritor Fabrício Carpinejar.

A atriz, que está em cartaz em SP com a peça Callas (onde vive a cantora Maria Callas, sob a direção de Marília Pêra), falou sobre diversos temas ligados à fama.

“Quando você entra na televisão, você tem aquela popularidade que na verdade você não sabe quem realmente admira você e quem não te admira”, comentou. Sua fase de maior sucesso foi como a vampira roqueira Natasha da novela Vamp (1991/92), e ela relembrou esse momento: “Eu não podia sair na rua, eu não podia fazer nada, era uma loucura”.

Sobre ser ou não famosa, ela disse: “Quando eu fazia cinema, ninguém me reconhecia na rua e eu me sentia uma artista”. Falando em cinema, Ohana revelou que tem vontade de dirigir um filme.

E por fim, ela declarou: “Eu quero ser lembrada para sempre”. É inevitável dizer que, além de seu trabalho como atriz, Claudia costuma ser lembrada pelo famoso ensaio fotográfico para a revista Playboy em 1984.

Sem mais artigos