Terminou na noite de sábado (15/08) o 43º Festival de Cinema de Gramado (RS), um dos mais importantes do Brasil. Foram vários prêmios, distribuídos em três setores: curtas-metragens brasileiros, longas brasileiros e longas estrangeiros.

Entre os longas nacionais, o grande vencedor foi Ausência, que levou Melhor Filme, Melhor Diretor (Chico Teixeira), Melhor Roteiro (Chico Teixeira, César Turim e Sabina Anzuategui) e Melhor Trilha Musical (Alexandre Kassin). Só faltou premiar Gilda Nomacce como Melhor Atriz por esse filme que está arrancando elogios por onde passa.

Outros grandes premiados no setor de longas brasileiros: Um Homem Só, que levou Melhor Atriz (Mariana Ximenes), Melhor Ator Coadjuvante (Otávio Muller) e Melhor Fotografia (Adrian Tejido); e o belo O Último Cine Drive-In, que ganhou como Melhor Longa pelo Júri da Crítica, Melhor Ator (Breno Nina), Melhor Atriz Coadjuvante (Fernanda Rocha) e Melhor Direção de Arte (Maíra Carvalho).

No setor de curtas, o Melhor Filme foi O Corpo, de Lucas Cassales; e o Melhor Filme pelo Júri Popular foi o poético , de Leandro Tadashi ( foto ).

Uma injustiça: o curta Sêo Inácio (ou o Cinema do Imaginário), embora tenha roubado a cena em Gramado, não levou prêmio nenhum.

ba_21x9_595

Sem mais artigos