A TV Globo completa 50 anos de existência neste domingo (26) com festa repleta de astros e estrelas, que será exibida no sábado (25). Mas uma das convidadas de honra não estará presente: Janete Clair.

Nascida em 25 de abril de 1925, Janete faria 90 anos agora, mas morreu aos 58 em novembro de 1983. Para quem nunca ouviu falar dela, vamos à aula de história: Janete foi a principal autora de novelas da Globo nos anos 70.

Incansável, a novelista emendava um sucesso atrás do outro, sempre no horário das 20h (quando existia a chamada “Novela das Oito”, hoje “das Nove”), arrebatando o público brasileiro com novelas como Selva de Pedra (que bateu nos 100 pontos de audiência), Pai Herói (na casa dos 90 pontos), Pecado Capital e O Astro.

Não à toa, três novelas suas foram lançadas em box de DVDs recentemente, e quatro já ganharam remakes. Janete lançou as bases do que conhecemos como novela, criando uma receita que continua sendo usada por todos os novelistas.

Dramas folhetinescos, tragédias urbanas e tramas exageradas e às vezes até bizarras, estreladas por astros como Tarcísio Meira, Glória Menezes, Regina Duarte, Francisco Cuoco e Dina Sfat – são eles os campeões de aparições em novelas da autora.

Cenas marcantes da autora fazem parte do imaginário coletivo, como a famosa sequência de O Astro, em que Márcio (Tony Ramos) briga com o pai e tira a roupa:

Janete morreu enquanto escrevia Eu Prometo, e a novela foi finalizada pelo viúvo da novelista, Dias Gomes (1922-1999), e pela então colaboradora de Janete, Glória Perez.

Não seria exagero dizer que Janete colaborou (e muito) para que a TV Globo se fortalecesse e dominasse culturalmente o Brasil, já que desde 1970 o programa de maior audiência da emissora (e portanto do Brasil) ainda é… a novela das 20h (ou das 21h).

Para conhecer a obra de Janete, dá para ver as novelas que foram lançadas em DVD. Ou então… clicar na galeria a seguir!

Janete Clair, a "Maga das Oito", a autora que criou a novela moderna

Janete Clair é até hoje a novelista mais importante da TV brasileira. Criou clássicos líderes de audiência no horário das 20h, daí o apelido de
O primeiro hit da autora na Globo foi
Regina Duarte estreava na Globo vivendo Andréia, a noiva que é descartada pelo noivo porque este tinha um caso com a irmã dela
No elenco, Betty Faria e Claudio Marzo, que morreu recentemente
Em seguida, sem pausa, Janete escreveu a novela apoteose
A novela conquistou o Brasil no auge da ditadura militar e da conquista do tricampeonato na Copa do México, gerando acusações de ter alienado o povo no período mais violento do regime
Glória Menezes vivia uma mulher com tripla personalidade, que seduzia o herói João Coragem. A novela teve um remake exibido às 18h em 1995
Com sua mistura dos livros
Em sua terceira novela consecutiva no horário, Janete criou a trama mística de Ciro Valdez (Tarcísio), que seria a reencarnação de Jesus Cristo ( !!! )
O casal na vida real Tarcísio Meira e Glória Menezes estrelava novamente
O vilão era Otto Von Muller (Jardel Filho), um malvadão na linha nazista
Na sequência (quarta novela seguida no horário!), Janete criou seu maior sucesso:
A trama narrava o amor entre Simone (Regina Duarte) e Cristiano (Francisco Cuoco), tumultuado pela vida destruidora da cidade grande, a
Simone disputava Cristiano com a ricaça Fernanda (Dina Sfat), em trama que lembrava o filme
Dina Sfat foi um grande destaque, principalmente quando Fernanda enlouquece e se transforma numa vilã perigosa
Na fase final, Fernanda mantém Simone trancada num sítio, como prisioneira
No elenco, Carlos Eduardo Dolabella como Caio, e Carlos Vereza como o vilão Miro
E Glória Pires, aos 9 anos de idade...
A novela teve remake exibido às 20h em 1986, e foi lançada em box de DVDs em 2013
Janete descansou durante alguns meses (enquanto a Globo exibia
Tarcísio fazia dois papéis: o empresário Hugo Leonardo e seu sósia, que toma seu lugar na empresa
Mais uma vez Tarcísio fazia par com sua esposa Glória
O personagem Hugo Leonardo surgia com maquiagem bizarra a la filme de terror
Em seguida, Janete emendou
Juca de Oliveira e Regina Duarte estrelavam a trama, que sofreu diversas intervenções da censura
O destaque ficou novamente com Dina Sfat vivendo a exuberante Chica Martins
Janete migrou para o horário das 19h para escrever
Enquanto a Globo exibiu uma reprise condensada de
Lucinha vira modelo e manequim e se casa com o viúvo solitário e milionário Salviano Lisboa (Lima Duarte)
E Carlão morre no último capítulo, abraçado ao dinheiro que encontrara em seu táxi, fruto de um assalto a banco, e que escondera durante toda a novela
A novela teve um fracassado remake às 18h em 1998 (de Glória Perez) e foi lançada em box de DVDs em 2014
Novamente o par central era formado por Cuoco e Betty Faria
Betty vivia Leda Maria, cuja relação com o filho Téo (Carlos Poyart) foi um dos destaques da trama
Mário Gomes lançou moda com seu colar, vivendo o cantor Dino César
Nos bastidores, Mário e Betty engataram um turbulento caso, que desmantelou o casamento da atriz com o diretor da novela, Daniel Filho
Então veio o sucesso avassalador de
Cuoco vivia o místico farsante Herculano Quintanilha, que de cartomante numa churrascaria vira figura central no grupo Hayalla
Tony Ramos e Elizabeth Savalla viveram o casal jovem Márcio e Lili (o garoto rico e a pobretona suburbana)
Dionísio Azevedo era Salomão, que foi assassinado pelo amante de sua esposa Clô
A novela ganhou um remake em 2011, em formato de mini-novela às 23h
O último grande sucesso da autora foi
Glória Menezes era Ana Preta, dona de uma casa de samba, e Tony Ramos vivia André Cajarana, que lutava para inocentar seu pai
André se dividia entre o amor de Ana Preta e da bailarina clássica Carina (Elizabeth Savalla)
Paulo Autran, monstro sagrado do teatro, estreava em novelas vivendo o italiano mafioso Bruno Baldaracci
Juca (Tarcísio) e Catucha (Débora Duarte) viviam um casamento conturbado
Pois ele amava Vivian (Vera Fischer), que chegou a ser estuprada pelo cunhado (Ney Latorraca)
E Catucha protagonizou uma famosa cena de masturbação sugerida
Aracy Balabanian vivia a cobradora de ônibus Maria Faz Favor
A última novela escrita integralmente por Janete foi a sobrenatural
Regina Duarte vivia Luana Camará, que tinha alguns problemas
O principal: ela era sensitiva e incorporava o espírito de...
Priscilla Capricce, atriz italiana já morta
Priscilla, incorporada em Luana, chega a se casar com Tião Bento (Cuoco) num ritual cigano
A última novela de Janete foi ao ar às 22h. O político Lucas Cantomaia (Cuoco) vivia um casamento de fachada com Darlene (Dina Sfat)
Pois era apaixonado pela fotógrafa Kelly (Reneé de Vielmond)
As filhas da família Cantomaia eram Malu Mader, Fernanda Torres e Júlia Lemmertz (da esq. para a dir.)
Janete morreu seu concluir
Janete fundou as bases do que conhecemos hoje como novela. Mais de 30 anos após sua morte, a receita ainda é a mesma

Conheça a obra de Janete Clair, que inventou a novela moderna e faria 90 anos enquanto a Globo faz 50

Sem mais artigos